Por falta de quórum na primeira reunião, será realizada no dia 21 a segunda assembleia geral dos credores da Stemac

Marília Costa e Silva

Não teve quórum a primeira Assembleia Geral de Credores da Stemac S/A Grupos Geradores realizada na quarta-feira (07), em Itumbiara. Eram necessários pelo menos 50% dos cerca de 2 mil credores. O administrador judicial, o advogado Dyogo Crosara, avisa que outra assembleia já foi marcada e deve acontecer no próximo dia 21 de agosto. Desta vez, afirma, independentemente do número de presentes, ela deve ser promovida. A recuperação judicial da Stemac é a maior atualmente em andamento no Estado.

Dyogo Crosar durante evento em que recebeu jornalistas no seu escritório, no Setor Oeste

Crosara recebeu, no início da tarde desta sexta-feira (09) um grupo de jornalista na sede do escritório, no Setor Oeste, para confraternização pelo Dia do Advogado, comemorado no domingo, 11 de agosto. Segundo ele, a Stemac é uma empresa gaúcha que veio para o Estado devido a um plano de incentivos fiscais em 2014.

No entanto, disse, devido a crise econômica envolvendo principalmente as empresas de grande porte, que consomem os geradores construídos pela Stemac,  a companhia teve sérios problemas financeiros e acabou tendo de optar pela recuperação judicial. Com ela, deve ganhar o direito de carência de quatro anos para pagamento do passivo de R$ 750 milhões com deságio que varia de 50% a 70%.

Recuperação aprovada

O plano de recuperação judicial da Stemac foi aprovado no dia 11 de maio passado pelo juiz da 3ª Vara Cível da comarca, Danilo Farias Batista Cordeiro. O conglomerado gera 239 empregos diretos e 500 indiretos na cidade e, no Brasil, são 1.133 empregados diretamente e 2.200 indiretamente.  A medida implica no desbloqueio de todos os valores já penhorados via BacenJud. Cabem às empresas que integram o grupo apresentar contas demonstrativas mensais enquanto perdurar a recuperação, sob pena de destituição de seus administradores judiciais nomeados.

Com o deferimento do pedido de recuperação pelo Judiciário, a Stemac tinha 60 dias para apresentar o plano de reestruturação dos débitos junto aos seus credores e Judiciário. As dívidas contraídas até a data do deferimento serão congeladas e renegociadas. Todas as que forem feitas a partir do deferimento serão integralmente cumpridas. Pagamentos de salários e benefícios de colaboradores não serão afetados pelo processo de recuperação judicial.