Sinjufego vai pedir suspensão imediata do funcionamento do tribunais por 14 dias

Como medida emergencial, a fim de preservar a saúde dos servidores, contribuindo para que não haja a proliferação do coronavírus, o Sinjufego vai requerer, em tutela de urgência, a suspensão imediata do funcionamento dos Tribunais por, no mínimo, 14 (catorze) dias, com nova avaliação a ser feita ao término desse prazo. O pedido do Sinjufego que será protocolado nesta segunda-feira (16/03), dado o estado de emergência em Goiás.

A paralisação de 24 horas no dia 18 de março, no entanto, fica mantida, mas com adiamento do ato conjunto que seria realizado na entrada do TRT-GO. Nesse dia, os servidores não devem ir trabalhar, ficando em suas casas. Os grevistas devem enviar no e-mail [email protected], com o título Greve Dia 18, com mensagem contendo nome e órgão, o que valerá como ponto paralelo que servirá para posterior pedido de abonar a ausência.

Por óbvio, havendo deferimento do pedido do sindicato até o dia 17, não haverá paralisação no dia 18 porque o pedido do sindicato é para que os Tribunais parem de funcionar por 14 dias, o que pode acontecer já a partir da terça-feira.

O adiamento do ato foi uma decisão difícil de ser tomada pela Diretoria do sindicato, isso diante da boa mobilização dos servidores que estão indignados e revoltados com as propostas do Governo de redução salarial e de precarização dos serviços públicos.

Mas frente aos últimos acontecimentos, com questionamentos de vários servidores, bem como a decisão de outros sindicatos de adiar os atos de rua do dia 18 e de manter a paralisação, o Sinjufego se junta aos melhores especialistas na área de saúde que defendem que o Brasil tem de parar para conter a propagação do Covid-19.

A diretoria do sindicato pondera que o país não tem rede hospitalar pública nem privada capaz de atender a elevação dos picos de contágio, por isso que as medidas de prevenção devem ser tomadas no início, tomá-las depois poderá não resolver, será tarde demais, não devemos subestimar os efeitos do coronavírus na saúde dos servidores.