quinta, 23 de novembro de 2017 62 9 9904-5026

Justiça manda que pedreiro seja internado em UTI pública, mas ordem não é cumprida

A Justiça de Goiás determinou que o pedreiro Aldair Filho Silva Marques, de 51 anos, seja internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da rede pública de saúde, na Grande Goiânia. A decisão foi tomada na sexta-feira (4), mas até o início da tarde deste domingo (6) ainda não tinha sido cumprida. Hospitalizado em estado grave, o paciente sofre com problema no coração e precisa de uma angioplastia.

A família está desesperada com a situação. Segundo os parentes, o pedreiro sofreu duas paradas cardíacas na manhã deste domingo. Os parentes temem pela vida do pedreiro. “Está agravando cada vez mais. Qualquer hora ele pode morrer porque é uma veia do coração que está rompendo, o sangue está vazando”, declara o filho Flávio Sousa.

Morador de Águas Lindas de Goiás, Aldair estava de férias em Porangatu, no norte goiano, quando passou mal, no dia 26 de setembro. Ele foi transferido para Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana, mas, como não havia vaga em unidades da rede pública de saúde, o internaram em um hospital particular.

Há nove dias pagando pela hospitalização do marido, Cecília Fernandes Sousa ressalta que não tem mais condição de pagar pelo tratamento. “Eu já não sei mais o que fazer. A gente não tem mais dinheiro, nem a nossa família”, ressalta.

Conforme a ação, o descumprimento da liminar acarreta em multa de R$ 1 mil por dia para a Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia, além de caracterizar crime de desobediência. Na decisão, o juiz determina ainda que a angioplastia também seja feita.

A Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia alega que, como o caso de Aldair é grave, ele precisa ser transferido para o Hospital das Clínicas, na capital, que é a unidade capacitada para fazer a cirurgia que ele necessita. Segundo o órgão, a Central de Regulação já solicitou uma vaga de UTI na unidade. A prefeitura informou ainda que contestou a liminar.

A Secretaria de Saúde de Goiânia informou que está se empenhando para encontrar uma vaga de UTI. No entanto, o paciente continua na lista de espera.

Comentários


Receba nosso informativo

Cadastre-se em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do portal Rota Jurídica