Resolução do CNMP possibilita questões de certo ou errado em concursos do Ministério Público

O Conselho Nacional do Ministério Público publicou nessa terça-feira (10) a Resolução CNMP nº 219/2020, que possibilita a adoção de provas do tipo certo ou errado na primeira fase de concursos de ingresso na carreira do Ministério Público.

A norma, publicada no Diário Eletrônico do CNMP, é resultado de proposta apresentada pelo então conselheiro Valter Shuenquener e relatada pelo conselheiro Oswaldo D’Albuquerque. O texto foi aprovado, por unanimidade, no dia 13 de outubro, durante a 15ª Sessão Ordinária de 2020.

Com a publicação da Resolução CNMP nº 219/2020, o artigo 17, inciso I, da Resolução CNMP nº 14/2006 passa a vigorar com a seguinte redação: “I – prova preambular, composta por questões objetivas de múltipla escolha ou do tipo certo ou errado, de pronta resposta e apuração padronizada, em número estabelecido pelo edital, com a finalidade de selecionar os candidatos a serem admitidos às provas previstas no inciso II deste artigo”.