Novo advogado deve desenvolver competências subjetivas como empatia, colaboração e inclusão, diz especialista

Para Victor Fonseca, o profissional deve se preparar não apenas para um futuro, mas para vários futuros

Victor Fonseca, advogado especialista na área de Tecnologia e Inovação, é responsável por coordenar o ThinkFuture, o primeiro programa de inovação estruturado por um escritório full-service brasileiro. Ele será um dos destaques da quarta edição do Aurum Summit, o evento de maior destaque sobre inovação em Direito do Brasil, que acontece no dia 10 de outubro, em São Paulo. O pensamento “fora da curva” na advocacia é tema da sua palestra, que será dedicada ao profissional do setor que deseja se atualizar e se preparar para esse mercado em transição.

Como advogado, Victor atende clientes de base tecnológica, grandes empresas interessadas em open innovation e startups. Como propósito, o profissional ajuda a construir de forma colaborativa as melhores opções para o futuro da advocacia. Para ele, a interação multidisciplinar do Direito com outras áreas, como inovação e tecnologia, é um fenômeno indiscutível, mas não é correto entendê-la como algo que substituirá os conhecimentos e habilidades tradicionais.

“Grande parte do conhecimento necessário aos dias de hoje está nas ciências jurídicas tradicionais. O que falta é aprimorar a relação do Direito com outras áreas, não apenas à tecnologia e inovação. O novo profissional de Direito deverá se enveredar por áreas técnicas, como PMO, gestão e contabilidade, além de desenvolver competências mais subjetivas, como empatia, colaboração, inclusão e atenção à experiência da relação cliente-fornecedor”, ressalta.

Para o especialista, também é necessário pensar em uma mudança transversal. Em síntese, isso não significa substituir disciplinas tradicionais, como Direito Civil ou Penal, pelas inovadoras, como Direito Digital. O caminho, segundo Victor, é integrar os dois mundos, pois não necessariamente novos problemas demandam novas soluções.

A palestra do advogado no Aurum Summit 2019 promoverá uma reflexão sobre a trajetória da evolução do Direito até a atualidade, e como o profissional deve se preparar não apenas para um futuro, mas para vários futuros, de forma que essa transição signifique oportunidades e soluções para a profissão jurídica.

“Mas precisamos ter calma e paciência. A rápida evolução que vivemos hoje não é um sinal de alerta para ‘correr para as colinas’. O ideal é olhar o momento com senso crítico para aproveitar as oportunidades”, recomenda.