Defesa de motorista que atropelou mãe e filha acredita que perícia não foi precisa

Laudo da Seção de Perícia em Áudio e Imagem do Instituto de Criminalística aponta que a motorista Ana Paula de Almeida Guimarães, que atropelou mãe e filha na Avenida Independência, na região Central de Goiânia, no dia 31 de dezembro passado, trafegava a uma velocidade entre 94 a 104 quilômetros por hora. Meiriany Ester Luiz Cotrim, de 28 anos, que estava grávida de quatro meses, e a filha Ana Vitória Luiz da Silva, de 4, morreram no local.

Advogado de defesa Tadeu Bastos

O advogado de defesa da motorista, Tadeu Bastos, do escritório Moacyr Ribeiro e Tadeu Bastos Advogados, afirma que após ter acesso ao laudo pode perceber algumas inconsistências na análise dos peritos, o que no entender dele geraria a conclusão de velocidade divergente da que foi apresentada. “Infelizmente a perícia não foi totalmente precisa. Faremos um levantamento das circunstâncias para que um técnico da área, que será habilitado nos autos, demonstre isso”, diz.

Bastos diz que “a motorista está a disposição da polícia e colaborando com todas as fases da investigação. Ela fez teste de bafômetro e não foi constatada embriaguez. Além disso, permaneceu no local do acidente. “É um luto para as duas famílias! Entendemos a gravidade do ocorrido porém será demonstrado, também, que a velocidade não foi o fator determinante para que a fatalidade ocorresse”, afirma o advogado.