Polícia Civil prende suspeito de ser o mandante do assassinato de dois advogados em Goiânia

Marcus Aprígio Chaves, de 41 anos, e Frank Alessandro Carvalhães de Assis, de 47, foram assassinados em 28 de outubro do ano passado
Publicidade

A Polícia Civil prendeu nesta terça-feira (17) o suspeito de ser o mandante dos assassinatos de dois advogados em Goiânia. Marcus Aprigio Chaves, de 41 anos, e Frank Alessandro Cavalhaes de Assis, 47, foram mortos no dia 28 de outubro, dentro do próprio escritório, no Setor Aeroporto.

Informações preliminares são de que o suposto mandante teria sido preso na divisa com o Estado da Bahia e junto com outros envolvidos no crime já está a caminho da Delegacia de Homicídios. O Rota Jurídica está acompanhando o caso e vai divulgar mais informações ao longo desta terça-feira.

Essa seria a segunda prisão no caso. Pedro Henrique Martins Soares, 25, foi detido no Tocantins dois dias após o crime e indiciado pelo duplo assassinato dos advogados. Inicialmente, ele sustentou a versão de latrocínio, quando o roubo resulta em morte. Ele é apontado pelas investigações como sendo o autor dos disparos de arma de fogo que mataram as vítimas. Pedro ostenta extensa ficha criminal, inclusive por homicídios, e é considerado indivíduo de extrema periculosidade. Sua prisão foi realizada por agentes da Polícia Civil da DIH de Goiás e agentes da Polícia Civil do Tocantins, após dois dias de diligências ininterruptas.

O segundo indiciado, Jaberson Gomes, 24, que também ostenta antecedentes por crimes graves, estava foragido e foi procurado pelas equipes da Polícia Civil de Goiás e Tocantins. Porém, foi morto, em Porto Nacional (TO), durante um confronto com policiais militares da PMTO.

Em razão da gravidade dos fatos, foi criada no âmbito da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) uma força-tarefa, composta por cinco delegados e 30 policiais civis, para atuação conjunta ininterrupta com a Gerência de Inteligência (GOI/PCGO), com a Gerência de Identificação (PCGO) e com a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) do Tocantins.