Juíza invoca laços familiares para conciliação entre partes que trabalhavam em empresas de parentes

Relações familiares marcaram dois acordos realizados em duas ações trabalhistas já em fase de produção de provas em trâmite na Vara do Trabalho de Valparaíso de Goiás. As conciliações foram realizadas nesta terça-feira (19) durante as audiências que serviriam para instruir os processos.

Na primeira audiência, a reclamante era filha do dono da empresa e diz ter trabalhado por cinco anos para o pai. Já na segunda audiência, o reclamante era irmão de um sócio da empresa e disse ter atuado por 22 anos. A juíza do trabalho Carolina Nunes disse que, durante as audiências, utilizou a técnica de validação dos sentimentos e deu enfoque aos laços familiares que unem as partes nestas ações.

Para a magistrada, a conciliação nesses casos é um instrumento maior de solução dos litígios, diante da possibilidade da conciliação na Justiça do Trabalho alcançar a esfera privada de cada pessoa, afinal nos casos específicos há um bem maior envolvido, a família.

A primeira ação trabalhista trata de uma relação entre pai e filha, onde ela era contratada pela empresa para exercer o cargo de vendedora. Sua pretensão era obter o reconhecimento de vínculo trabalhista e as verbas decorrentes deste vínculo. A segunda ação foi proposta por um irmão em face de uma empresa em que seu irmão era sócio. Ele pleiteava o reconhecimento de vínculo e seus reflexos.

Processo 0012003-87.2018.5.18.0241
Processo 0011899-95.2018.5.18.0241