Condenado a mais de 28 anos de prisão homem que matou mulher e colocou o corpo em uma mala

Após ter matado a vítima, que também foi estuprada, ele abandonou o corpo dentro de uma mala

Ubiratan Guilherme Digues de Lima, de 36 anos, foi condenada a 28 anos e 6 meses de reclusão a serem cumpridos em regime fechado nesta quarta-feira pela morte de Adriana Nunes de Sousa, 24 anos. Após ter matado a vítima, que também foi estuprada, ele abandonou o corpo dentro de uma mala no córrego que divide os setores Vila São Joaquim e Vila Santos Dumont, em Aparecida de Goiânia.

O réu, que sustentou a tese de negativa de autoria durante sessão de julgamento presidida pelo juiz Leonardo Fluery Curado Dias, era estudante do 9º período do curso de Direito e foi identificado através de imagens de câmeras de segurança. Ele foi preso em um prédio no Setor Bueno onde trabalhava como porteiro.

Além do relato de testemunhas, que contaram ter visto Ubiratan buscando Adriana várias vezes na casa de uma amiga, corrobaram a acusação 15 minutos de filmagens dele passeando com ela em um supermercado na Vila Brasília. Além disso, há outras evidências, como uma mala com roupas da Adriana que foi encontrada jogada em uma mata bem perto da casa do Ubiratan, no Setor Santo Antônio.