Com digitalização e fluxo interno, produção de atos da Casa Civil ganha celeridade

Com digitalização e fluxo interno, produção de atos da Casa Civil ganha celeridade
A produção de atos do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, e do secretário da Casa Civil, Anderson Máximo, trabalho da Gerência de Redação e Revisão de Atos Oficiais (Gerat), tem apresentado maior celeridade nos últimos quatro meses. Com a conversão de documentos físicos em formato digital e a instituição de um fluxo interno, o tempo médio de tramitação dos processos foi reduzido para 2,2 dias, segundo o gerente da área, o procurador Jorge Luís Pinchemel.

“Tudo era feito no papel e só uma pequena parte do trabalho utilizava o SEI (Sistema Eletrônico de Informações). Hoje, nós digitalizamos todo o fluxo de serviço e ampliamos o uso do sistema para todas as esferas da gerência”, explica Jorge Luís Pinchemel. “Isso permite um andamento dos processos muito mais rápido e além da celeridade, traz mais transparência, porque tudo pode ser acessado pelo sistema do Estado”, afirma o gerente.

Apenas no último mês de julho, a gerência, que é vinculada à Superintendência de Legislação, Atos Oficiais e Assuntos Técnicos, trabalhou 341 processos. “Todos os atos normativos, de comunicação, decretos, projetos de lei, autógrafos de lei para sanção ou veto, decisões em recursos administrativos, são feitos aqui. É aqui que produzimos, damos redação a tudo isso”, conta Jorge Luís Pinchemel. “Portanto, a maior produtividade da Gerat evidencia uma maior eficiência na atividade-fim da Casa Civil’, afirma o procurador.

Além da maior rapidez na confecção dos atos, a gerência tem apresentado também maior economia com a redução do consumo de papel na área após a digitalização no processo de edição e revisão dos atos. “Cada ato era impresso no mínimo quatro vezes, as correções eram feitas em papel e isso demandava mais tempo e mais insumos”, conta Jorge Luís Pinchemel.

A interação da equipe é outro ponto positivo que contribui para a celeridade, segundo o gestor. “Nós temos funcionários que estão há 20 anos na Casa Civil e nunca haviam tido uma reunião de trabalho. Hoje a equipe tem reuniões bimestrais, tem orientação e se comunica mais”, afirma. Jorge Luís Pinchemel ainda destaca a parceria da Casa Civil com a Procuradoria Geral do Estado. “Também há uma participação maior da PGE no nosso trabalho atualmente e um cuidado para que tudo que é levado ao governador tenha o maior embasamento técnico e jurídico possível”, finaliza o gerente.