TRT-GO e Banco do Brasil vão implantar sistema de interligação bancária para emissão de alvarás

O Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (Goiás) e o Banco do Brasil discutiram esta semana a implantação do Sistema de Controle de Depósitos Judiciais (SisconDJ) para a emissão de alvarás de levantamento de depósitos judiciais nas unidades de primeiro grau. O presidente do TRT, desembargador Paulo Pimenta, recebeu a visita do superintendente regional do BB, José Aparecido de Oliveira, do gerente-geral de Agência Rui Barbosa Mesquita e do gerente de relacionamento Gustavo Borges. A expectativa é que a interligação bancária das Varas do Trabalho com o BB seja feita até o fim do semestre.

De acordo com o superintendente regional, o sistema já foi desenvolvido pela área técnica da instituição e traz maior eficiência, velocidade e comodidade para os usuários da Justiça do Trabalho. “Tudo o que pode ser feito de forma automatizada temos que caminhar para isso”, ressaltou.

Para a implantação do sistema, Goiás conta com o apoio técnico do TRT de São Paulo, que inaugurou a interligação com o BB, e com os técnicos do banco. Além de SP, mais dois regionais trabalhistas já utilizam a interligação, o TRT 20 (Sergipe) e o TRT 21 (Rio Grande do Norte).

O desembargador Paulo Pimenta disse que a inovação tecnológica chega para facilitar a vida de todos e promover, ao mesmo tempo, maior segurança na tramitação processual, já que o procedimento é feito por meio de certificado digital, o que elimina a incidência de fraudes. “É uma transformação digital que agiliza todo o processo judicial para que a parte tenha facilidade em receber o que lhe é devido”, afirmou.

Uma vez implantado, o sistema permite que as partes recebam seus créditos diretamente nas contas indicadas no processo, evitando o comparecimento ao banco ou à vara do trabalho.

De acordo com dados do Banco do Brasil, o mês de março fechou com um saldo de R$ 118 milhões aproximadamente em depósitos judiciais relativos a processos que tramitam na Justiça do Trabalho em Goiás. Fonte: TRT-GO