Três são denunciados por morte de mulher que sumiu após desembarcar no aeroporto de Goiânia

MP denunciou denunciou um empresário, um amigo dele e uma babá pela morte de Lilian de Oliveira

O Ministério Público denunciou o empresário Jucelino Pinto da Fonseca, o amigo Ronaldo Rodrigues Ferreira, e a babá Cleonice de Fátima Ferreira pela morte Lilian de Oliveira, de 40 anos. Ela desapareceu após desembarcar no aeroporto de Goiânia, em 13 de fevereiro de 2020, vindo da Colombia. Além disso, os dois homens também respondem por rapto e concurso de pessoas.

Conforme apontado na peça acusatória, o crime aconteceu porque o empresário teve um relacionamento extraconjugal com a vítima e tinha discussões sobre o pagamento de pensão alimentícia à filha deles. Para o MP-GO, Jucelino contratou Ronaldo para matar a vítima e em troca perdoaria uma dívida de R$ 20 mil. Já Cleonice era babá da filha de Lilian, de 4 anos, e teria organizado a volta da patroa ao Brasil para que ela fosse assassinada, pois tinha interesse em ficar com a criança.

Os três, no entanto, respondem ao processo em liberdade. Eles chegaram a ser presos após o crime, mas foram soltos em agosto do ano passado por ordem judicial.

A defesa de Ronaldo informou que recebe a denúncia com tranquilidade e acredita que os elementos da investigação não são suficientes para provar que ele participou do crime, pois ele apenas deu carona à vítima.

Já a defesa de Jucelino e Cleonice informou que “há expectativa de rejeição da denúncia, tendo em vista que todas perícias realizadas pelos órgãos oficiais nos locais onde supostamente teriam ocorrido os crimes apontaram a ausência de quaisquer possibilidades que os crimes ocorreram como quer crer a acusação”.