Por morte da cadela Manchinha, Carrefour vai pagar R$1 mi para cuidados com animais

O Ministério Público de São Paulo firmou um Termo de Compromisso com o Carrefour e a Prefeitura de Osasco que por conta dos maus-tratos cometidos por um segurança contra o cachorro dentro de hipermercado da rede no município. As agressões causaram a morte do animal, no fim de novembro. O caso causou comoção nacional e gerou uma onda de protestos.

A rede de supermercados Carrefour terá que depositar R$ 1 milhão em um fundo a ser criado pelo município de Osasco (SP) para combater os maus-tratos aos animais. A novidade se deve a Termo de Compromisso firmado entre a empresa e o Ministério Público em resposta à morte da cadela Manchinha, morta por um segurança dentro de uma loja da rede em 28 de novembro.

Desse montante, R$ 500 mil serão destinados exclusivamente para a esterilização de cães e gatos, R$ 350 mil para a compra de medicamentos para animais do Hospital Municipal Veterinário ou que estejam no canil municipal e os R$ 150 mil restantes para aquisição e entrega de rações para associações, ONGs e demais entidades destinadas ao cuidado de animais na cidade de Osasco.

Caso o Carrefour descumpra o estabelecido, pagará multa de R$ 1 mil por dia de atraso no cumprimento das obrigações. Já o município será alvo de investigação por ato de improbidade administrativa na hipótese de não atender ao determinado pelo termo.

A fiscalização do acordo quanto à utilização e destinação do dinheiro por parte do Carrefour ficará a cargo da Promotoria de Justiça.