terça, 20 de novembro de 2018 62 9 9904-5026
TJDFT

Ponte deixa de ter nome de goiano e volta a chamar Costa e Silva

A ponte que liga o Lago Sul e o Plano Piloto, em Brasília, vai voltar a se chamar Costa e Silva. Desde 2015, ela leva o nome do goiano Honestino Guimarães. A decisão é do Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), que declarou a lei distrital que a nomeia inconstitucional. Uma ação popular originou a mudança. Os autores alegaram que não houve audiência pública para discussão do assunto, conforme dispõe a Lei Orgânica do DF. O Colegiado acatou de forma unânime.

Desde a mudança do nome, a ponte é alvo de ações na Justiça. Em 2016, um juiz havia acatado parcialmente uma ação pública alegando que Honestino Guimarães já dava nome a outro monumento em Brasília (Museu Nacional Honestino Guimarães), e que a duplicidade violaria lei distrital.

Natural de Itaberaí, Honestino Monteiro Guimarães foi presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), chegou a ser preso várias vezes em razão da sua militância, e desapareceu durante a ditadura militar em 1972.

A ponte em questão foi projetada por Oscar Niemeyer e começou a ser construída no primeiro ano do governo de Costa e Silva, que ficou conhecido pelo Ato Inconstitucional 05 (AI-5), instrumento de maior repreensão da ditadura.

Comentários



Receba nosso informativo

Cadastre-se em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do portal Rota Jurídica