Juiz é comunicado de prisão de homem condenado em júri realizado há 17 anos

O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 1ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri, recebeu o comunicado de que um homem condenado em setembro de 2002, mas que estava foragido, foi encontrado pela Polícia Civil. O comunicado do cumprimento de mandado de prisão definitiva foi feito pelo delegado Rilmo Braga Cruz Júnior, na quinta-feira (10/10). O capturado, Gesmar Inácio Felipe Filho, foi condenado a 15 anos de prisão pelo homicídio de sua companheira, ocorrido em setembro de 1991.

Conforme consta nos autos, Gesmar matou a companheira com um tiro de arma de fogo, quando ela estava na residência da mãe. A mulher teria ido visitar a genitora e deixado recado para que o companheiro a buscasse. Ao chegar ao local, ele a encontrou na companhia de amigos. O condenado estava com duas armas e atirou contra a vítima na frente do filho do casal, com apenas dois anos e meio de idade. Na ocasião, ele chegou a levar a mulher, de apenas 21 anos, ao hospital, mas ela já estava morta. Após isso, o condenado evadiu-se do local.

Em setembro de 2002, ele foi jugado pelo crime pelo Conselho de Sentença do 1º Tribunal do Júri de Goiânia. Na ocasião, o conselho acatou as qualificadoras do crime ter sido cometido por motivo fútil e mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Foi reconhecida, por maioria simples, a circunstância atenuante do cometimento do crime por influência de violenta emoção. Sendo fixada a pena 15 anos, a ser cumprida em regime inicialmente fechado.