Detran-GO acaba com obrigatoriedade de vistorias em quatro situações

O Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) acabou com a obrigatoriedade de vistoria veicular em quatro situações: emissão de 2ª via de Certificado de Registro de Veículo (CRV) e/ou Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV); perda ou danificação da placa traseira, tarjeta e/ou lacre do veículo; adoção da segunda placa traseira; e registro inicial de reboque e semirreboque, com a tara de até mil quilos. O procedimento, nestes casos, tinha custo de R$ 175,76, por solicitação. A medida passa a valer a partir do dia 25 de abril.

Em 2018, mais de 50 mil procedimentos dos tipos foram solicitados junto ao Detran-GO. A supressão da vistoria destes itens foi possível após análise da Diretoria de Operações e da Gerência Jurídica da autarquia.

O cidadão que precisar de qualquer dos serviços citados acima deve procurar o Detran-GO, em sua sede ou por meio das Ciretrans espalhadas pelo interior, ou ir a uma das unidades do Padrão Vapt Vupt.

Contratos
Neste mês de abril passou a vigorar a portaria que altera os registros de contratos de leasing e alienação fiduciária de veículos junto ao Detran-GO. Com a mudança, o registro volta a ser feito pelas financeiras no portal de serviços da autarquia e os dados ficarão armazenados em estrutura tecnológica própria.

Com a exclusão da figura de empresa terceirizada, também deixa de ser exigido o valor de R$ 182,35 cobrado da financeira, que repassava o custo ao usuário. A partir da vigência da portaria, a única cobrança referente ao registro de contrato é a taxa a ser paga direto ao Detran-GO, de R$ 193,06. Em 2018, mais de 175 mil contratos do tipo foram registrados na autarquia, totalizando cerca de R$ 32 milhões por ano.

“Depois de atuarmos na redução da taxa de registros de contratos, trazemos mais uma redução de custos que impacta diretamente o cidadão. Quem desembolsava estes R$ 175,76 era o usuário. São cerca de R$ 9 milhões por ano que eram gastos com estes serviços”, reiterou o presidente do Detran-GO, Marcos Roberto Silva.

Além da extinção do valor que era cobrado pela empresa responsável pelo registro de contrato, não há nenhum outro impacto para o usuário. O impacto das medidas recentes adotadas pelo Detran-GO representa uma economia de R$ 41 milhões para o bolso do cidadão. Segundo o presidente do Detran-GO, Marcos Roberto Silva, a extinção foi viável após a adequação do sistema de tecnologia da informação. Isso fará com que o cidadão tenha menos custos na hora de financiar um veículo.