Desembargadoras da Bahia foram presas nesta segunda-feira por venda de sentenças

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Og Fernandes determinou a prisão temporária de duas desembargadoras do Tribunal de Justiça da Bahia nesta segunda-feira (14). Elas são investigadas pela Polícia Federal por integrarem esquema criminoso de venda de decisões judiciais. O pedido de prisão foi feito pela subprocuradora-geral da República, Lindôra Araújo.

Além da prisão das duas magistradas, a PF também cumpre hoje mandados de busca e apreensão em Salvador, em outras três cidades baianas – Barreiras, Catu, Uibaí – e em Brasília (DF). A investigação aponta um esquema de venda de decisões judiciais não só pelas desembargadoraas mas por juízes da Bahia, com a participação de membros de outros poderes, que operavam a blindagem institucional da fraude.

O esquema consistia na legalização de terras griladas no Oeste do estado. A organização criminosa investigada conta ainda com laranjas e empresas para dissimular os benefícios obtidos ilicitamente. Há suspeitas de que a área objeto de grilagem supere os 360 mil hectares e de que o grupo envolvido na dinâmica ilícita tenha movimentado cifras bilionárias.