Advogada cria dossiê que centraliza documentos e informações para casos de emergência ou urgência

Luciana Gouvêa foi quem criou o Documento Prático Organizacional (DPO)

Marília Costa e Silva

Um dossiê individualizado para ser utilizado e consultado pelo próprio criador ou por um familiar ou amigo da sua confiança ou da sua escolha, em caso de emergência pessoal. Com esse objetivo, a advogada Luciana Gouvêa criou o Documento Prático Organizacional (DPO).

Ela explica que, no DPO, o usuário pode reunir dados e documentos para os momentos em que não estiver presente. Também serve para indicar um conjunto de ações práticas a serem executadas no caso de imprevistos.

“Se levar um tombo e for para o hospital ou sofrer um acidente mais grave quem irá tomar conta dos filhos? Da casa? Dos bichos de estimação? Se precisar viajar para outro país, ou para outro continente, quem vai cuidar das contas e dos documentos? Para esses momentos, já ter listado essas informações importantes e juntado os documentos de forma organizada, vai fazer toda a diferença. Inclusive no caso de ser necessário iniciar processo no Judiciário”, explica Luciana.

Ideia surgiu em 2017

A advogada afirma que decidiu criar o DPO, em 2017, após assistir uma palestra da consciencióloga Socorro Frazão. Inicialmente, ele foi disponibilizado para quem precisasse na  banca Gouvêa Advogados Associados.

Mas depois, com a pandemia, ela percebeu ainda mais a importância de as pessoas estarem preparadas para o caso de uma urgência. Por isso, decidiu que seria interessante disponibilizá-lo gratuitamente no site da TV Nossa Justiça, coordenado por Luciana. A TV Nossa Justiça tem como objetivo apresentar problemas e soluções para quem estiver interessado em responsabilizar-se pela construção de um Brasil melhor.

Luciana afirma que a procura pelo DPO vem crescendo muito. E que, para criar seu próprio documento, basta enviar e-mail com a solicitação para [email protected]