Abracrim de Goiás promove encontro das advogadas criminalistas

Gislaine Carvalho, Mônica Araújo e Luciana Valle

Foi realizada nesta sexta-feira (13), ação coordenada da Abracim Mulher, que consistiu em encontro das advogadas criminalistas em cada Estado do País. Em Goiás, a Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas, que tem como presidente o criminalista Alex Neder (licenciado), e, como interino Marcelo Bareato, realizou um almoço para as profissionais do Estado.

O encontro das criminalistas aconteceu no Centro de Excelência da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag), com um almoço no restaurante WE. A advogada Lorena Ayres, vice-presidente da Abracrim-Goiás prestigiou a reuniãos, parabenizando a Comissão Goianiense das Advogadas Criminalista pela realização desse encontro.

A Abracrim conta em todos os Estados com comissões de valorização da classe e de representantes femininas. Em Goiás, a Comissão Goianiense das Advogadas Criminalistas é formada pela criminalista Mônica Araújo, na presidência; Luciana Valle como vice e Ouvidora da Associação; Amanda Alves, secretária-geral e Gislane Carvalh é a secretária-adjunta.

Para a presidente da Comissão, “o primeiro encontro das advogadas criminalistas de Goiás trouxe troca de experiências e muita união das mulheres para continuar a luta pela nossa valorização e lugar no mercado de trabalho”. Nesse encontro de advogadas atuantes na área penal teve espaço para homenagem às advogadas Ana Carolina Fleury, Alexandra Martins, Bartira Miranda, Bruna Constâncio, Julia Faipher, Sharon Recupero e a bacharel em direito Valéria.

Para Alex Neder, as mulheres vem ao longo dos anos lutando por respeito na advocacia não só na área penal, demonstrando que a competência não tem gênero e que estão conquistando seu espaço a duras jornadas sem perder a feminilidade e a garra. Elas hoje são maioria nas universidades e na advocacia, se destacando cada vez mais.

Para o presidente interino, Bareato a presença da mulher em qualquer seguimento só faz mostrar a força e a garra que possuem e, quando na Advocacia Criminal, a competência e a lucidez com que enfrentam o dia a dia não passa desapercebido. O espaço da advocacia criminal sai fortalecido e a Abracrim, que valoriza a mulher há mais de 27 anos, é o exemplo do quanto é possível crescer com igualdade e divisão de conhecimento.