TJGO tranca ação penal proposta pelo MP contra ex-assessora de imprensa de João de Deus

A 2ª  Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Goiás trancou ação penal proposta pelo Ministério Público contra a ex-assessora de imprensa de João Texeira de Faria, o médium João Deus. As informações são da coluna Giro. Edna Gomes era acusada de ter cometido os crimes de concurso de pessoas e falsidade ideológica ao integrar rede de proteção e confecção de documento, registrado em cartório, no qual uma mulher, vítima de abuso sexual praticado pelo líder religioso, afirmava que ele era uma pessoa idônea. Atuou na defesa de Edna o advogado Thiago Santos Agelune, do escritório Demóstenes Torres Advogados Associados.

A corte seguiu voto do relator, desembargador Luiz Cláudio Veiga Braga, que entendeu que “o documento não possui potencialidade lesiva, já que a prova deve ser colhida na agularização do contraditório e da defesa plena, para assumir os contornos de elemento de convicção e produzir resultado juridicamente relevante”.

João de Deus

O médium está preso desde dezembro de 2018 acusado de abuso sexual contra mulheres que frequentavam a Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia. Já foram proferidas três sentenças de um total de 13 ações penais. São 50 vítimas no total. Já foram julgados os casos de 9 vítimas. O total das penas aplicadas nos 3 processos é de 63 anos e 4 meses. Eram 13 ações penais, faltam 10, mas podem vir outras denúncias.

O MP-GO inaugurou uma nova fase nas investigações envolvendo João de Deus. Isso aconteceu com o oferecimento, no dia 26 de dezembro de 2019, da 12ª denúncia contra o médium por crimes sexuais praticados contra duas vítimas. Dessa vez, além dele, também foram denunciados dois guias que realizavam o transporte de fiéis do Rio Grande do Sul para Abadiânia e possuíam livre trânsito no centro espírita.