MP-GO obtém afastamento cautelar do prefeito de Luziânia por crimes contra a dignidade sexual

Em atendimento a pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO), a desembargadora Carmecy Rosa Maria Alves de Oliveira determinou o afastamento cautelar do prefeito de Luziânia, Cristóvão Tormin, denunciado por crime de importunação sexual contra servidora do município.

A decisão foi cumprida na manhã de sexta-feira (21/2) e tem o objetivo de evitar que o denunciado se utilize do cargo público para praticar novas condutas criminosas, e também para garantir a eficácia das investigações. A suspensão do exercício das funções públicas de Tormin é válida por 120 dias.

A investigação foi conduzida pela Procuradoria-Geral de Justiça, por meio da Procuradoria de Justiça Especializada em Crimes Praticados por Prefeitos, em razão da prerrogativa especial de foro do prefeito.

A denúncia é assinada pelo procurador-geral de Justiça de Goiás, Aylton Flávio Vechi; pela subprocuradora-geral de Justiça para Assuntos Jurídicos, Ana Cristina Ribeiro Peternella França; e pelo coordenador da Procuradoria de Justiça Especializada em Crimes Praticados por Prefeitos, promotor de Justiça Cássio Roberto Teruel Zarzur. (Assessoria de Comunicação Social do MP-GO)