Judiciário, Legislativo e Executivo se comprometem a suspender nomeações de concursados até junho de 2020

Judiciário, Legislativo e Executivo não vão nomear concursados até junho de 2020. O compromisso foi firmado em reunião realizada na semana passada entre o representantes dos poderes e o governador Ronaldo Caiado (DEM). A decisão atinge quase 500 aprovados que aguardam nomeação. Além disso, não serão realizados certames no Estado pelo menos até o mesmo período do ano que vem.

Durante o encontro promovido no último dia 7, a secretária da Economia, Cristiane Schmidt, afirmou que a decisão de não nomear concursados foi tomada para que o Estado consiga quitar a folha de pagamento do funcionalismo público. Ela também mencionou a necessidade de se reduzir os repasses feitos ao Judiciário e Legislativo.

Executivo e Legislativo têm concursos válidos. A Assembleia Legislativa, por exemplo, realizou certame em janeiro, com 80 vagas, e ainda tem 61 integrantes do cadastro de reserva aguardando nomeação até julho e outubro, quando finda o prazo de validade de outro concurso realizado pela casa. No Executivo, o último certame realizado foi o de auditor fisal, com 28 vagas, homologado em dezembro de 2018.

O Judiciário não tem seleção aberta mas previsa abrir vagas para juiz substituto ainda este ano, o que também fica suspenso. O Ministério Público, por sua vez, garante que fará chamamentos de concursos vigentes no interior do Estado, porque, segundo apontou, estes não gerarão despesas extras por se tratarem apenas de reposições.