Governador Ronaldo Caiado propõe lei seca em bares de Goiás a partir das 22 horas

Em reunião virtual realizada nesta segunda-feira (25) com prefeitos, representantes do Judiciário, Legislativo e setores da sociedade, o governador Ronaldo Caiado (DEM) afirmou ser a favor da aplicação de lei seca em bares, restaurantes e similares de Goiás a partir das 22 horas. A novidade seria uma forma de inibir aglomerações e conter a curva ascendente de casos e de óbitos por Covid-19 no Estado.

Apesar de ser favorável à lei seca, o governador lembrou, entretanto, que cabe aos prefeitos – e não a ele – assinar decretos com este teor. “Quem dá alvará de funcionamento são as prefeituras”, disse Caiado. “O que for deliberado pela maioria é o que vou acolher.”

O secretário municipal de Saúde de Goiânia, Durval Ferreira Fonseca Pedroso, afirmou, no evento on-line, que foi transmitido pelas redes sociais do governador, que concorda com Caiado. “Precisa ser feita uma avaliação de permanência da abertura dos bares. Contudo, mais importante do que estabelecer uma diretriz é a fiscalizá-la”, afirmou, lembrando que há necessidade de ação de restrição de “forma urgente para não sermos surpreendidos”.

Enquete
Durante a videoconferência, o governador propôs uma enquete para adoção das novas medidas restritivas pelos prefeitos para que não haja discrepância entre os municípios.

“Somente temos vagas em Rio Verde, Anápolis, Goiânia e Aparecida de Goiânia. Nestas cidades ainda não temos as Unidades de Terapia Intensiva (UTI) lotadas”, apontou Caiado.

O presidente da Federação de Comércio de Goiás (Fecomércio), Marcelo Baiocchi, se mostrou favorável à medida de restrição de horário nos bares, mas solicitou a ampliação de leitos no Estado. Ele também sugeriu que, à medida que a contaminação diminua nas cidades, haja revisão das medidas restritivas adotadas.