Copart alerta para aumento de sites de leilões falsos e dá dicas para usuários evitarem golpes

Com a chegada da pandemia e as medidas de restrições que reduziram o funcionamento do comércio de rua tradicional, as compras online ganharam força e dispararam no ano de 2020. Porém, com esse crescimento, um problema que aflige quem faz compras pela internet também aumentou: o número de sites falsos que aplicam golpes nos usuários.

Um dos setores que mais tem sofrido com isso é o de leilão, principalmente os de automóveis. Durante a pandemia os leilões online cresceram cerca de 30% e se consolidaram como um importante canal de venda. Apesar disso, os golpes ficaram mais frequentes e cada vez mais difíceis de serem identificados.

Atenta à quantidade de fraudes observadas desde o início da pandemia e preocupada com a segurança dos consumidores, a Copart – principal organizadora de leilões extrajudiciais presenciais e on-line de veículos no Brasil – reforça as dicas para os interessados em adquirir um veículo não serem lesados. Ao todo, são cinco orientações básicas que podem minimizar as chances de cair em golpes.

De acordo com Adiel Avelar, Presidente da Copart no Brasil, apesar de se valerem indevidamente de logos, marcas e imagens pertencentes a organizadoras idôneas para induzir o comprador a erro, os sites falsos são facilmente identificáveis, se forem observados alguns pequenos detalhes. Com essas cautelas básicas, o consumidor pode fugir dos estelionatários e evitar cair nos golpes – conforme listado mais abaixo. Avelar observa também que esses cuidados podem ser ainda mais relevantes se for considerada a segunda onda de contaminação pelo Covid-19.

“O aumento das ocorrências de contaminação pelo vírus tem exigido das autoridades públicas novas restrições ao funcionamento dos comércios. Se essas medidas não forem suficientes para conter a disparada de casos, o afastamento social for decretado e o comércio tiver que baixar as portas, a tendência é que a realização dos leilões online ganhe ainda mais relevância, uma vez que será um dos poucos canais de venda que viabiliza a comercialização de veículos sem a necessidade de contato presencial. Dessa forma, seguir as orientações de segurança pode ser fundamental para evitar de cair em armadilhas”, explica o dirigente.

Antes da pandemia, cerca de 85% das vendas realizadas pela Copart eram feitas pela internet. Atualmente, esse número atingiu 100%. Já a quantidade de participantes em cada leilão, que era de 7.500 pessoas, passou para mais de 10.000 pessoas.

Confira algumas dicas para aproveitar os leilões online de veículos com tranquilidade.

1 – Quem sabe faz ao vivo

Os leilões sempre são feitos em tempo real, com hora marcada, com lances dados ao vivo e com a presença de um leiloeiro oficial para conduzir todo o processo. Caso você entre em um site e consiga comprar o automóvel diretamente, sem precisar dar lance, desconfie, pode se tratar de um golpe.

“Os leilões partem do princípio de que a maior oferta leva o produto. Além disso, o leiloeiro é fundamental para conduzir todo o processo do pregão, se atentar para quem está dando o lance e finalizar a disputa quando ninguém mais der uma oferta. Se você apertar o botão “comprar” em algum site e já for direcionado para a página de pagamento, cuidado, possivelmente será vítima de um golpe”, esclareceu Ciro Ronchezel, Diretor Comercial e Marketing, da Copart.

2 – WhatsApp não é canal de vendas

Outra particularidade dos estelionatários é usar o Whatsapp e redes sociais como forma de comunicação e de enviar documentos. Caso receba um boleto por alguma dessas ferramentas ligue o sinal de alerta e não pague, provavelmente você vai cair em um golpe.

“Sempre que você vence um leilão alguém da empresa vai te mandar um e-mail com todos os detalhes sobre pagamento e outros pontos necessários para a conclusão da compra. Nunca será enviado nada por redes sociais, whatsapp, ou será feita ligação informando o número da conta para deposito. Isso não existe, se acontecer isso em alguma etapa da sua compra, fuja, é golpe”, alertou Ciro.

3 – Quando a esmola é demais o santo desconfia

Se o site oferecer um veículo com um valor extremamente baixo em comparação ao mercado, você pode ter a certeza de que se trata de uma fraude.

“Leilões, tradicionalmente, começam com lances com valores bem abaixo dos aplicados pela tabela FIPE. Os valores dependem das avarias do veículo (pequena, média ou grande monta), quanto mais danificado, mais baixo o valor. “Você consegue ótimos negócios em leilões, mas não vai comprar uma Ferrari pelo preço de um Fusca. Se vir algo do tipo, tenha certeza que se trata de um golpe”, enfatizou o Presidente da Copart.

4 – Sites sempre são hospedados no Brasil

Outro ponto para se ter em mente é conferir no topo da página o URL do site que você está acessando. Para não serem derrubados, os criminosos hospedam seus sites fora do Brasil, e por isso olhar o endereço do site é fundamental para evitar golpes.

“Os sites de leilões brasileiros reais costumam terminar em .COM.BR. Já os sites falsos provavelmente terminarão com variações como .COM/BR/; .COM-BR; .COM?BR; .COM!BR; Esse é um detalhe que muitas vezes passa despercebido pela maioria dos usuários, mas é importantíssimo começar a observar e não entrar quando perceber”, comentou André Menossi, advogado associado da LO Baptista Advogados.

5 – Vasculhe o site e visite o pátio

Outra dica importante é navegar bastante pelo site da empresa. Veja se tem fotos dos carros de todos os ângulos, principalmente de possíveis avarias nos veículos, se as fotos têm marca d’água da empresa, telefone para contato, endereço, informações sobre o pátio, SAC, entre outros detalhes que podem passar despercebidos para os golpistas.

“Além disso uma dica importante nos leilões é visitar o pátio da empresa, ver o carro que você deseja comprar, se as avarias são maiores ou menores do que você imagina. Se o site que você vai dar um lance não tem pátio ou não deixa você visitá-lo tenha certeza que se trata de um golpe”, finalizou o Presidente da Copart.