Casag inaugura sala de apoio ao advogado na Corregedoria da Polícia Militar

Equipado com mesas, computadores, ar condicionado, poltronas e demais utensílios, o espaço dará mais dignidade aos profissionais que transitam pelo local

A Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag) inaugurou, na manhã desta quarta-feira (10), a sala de apoio ao advogado, nas instalações da Corregedoria da Polícia Militar do Estado de Goiás, em Goiânia. Equipado com mesas, computadores, ar condicionado, poltronas e demais utensílios, o espaço dará mais dignidade aos profissionais que transitam pelo local.

A solenidade contou com a presença do presidente da Casag, Rodolfo Otávio Mota, do presidente da Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil secção Goiás (OAB/GO), e vice-presidente da Caixa de Assistência, David Soares, representando o presidente da Ordem goiana, Lúcio Flávio Siqueira de Paiva. Também estiveram presentes o Comandante Geral da PM-GO, Coronel Renato Brum dos Santos, e do  coronel corregedor, Newton Nery de Castilho, entre outras autoridades.

Durante o evento, o presidente da Casg disse que a ação sela e reconhece a parceria entre OAB-GO e PM-GO. “Enquanto estivermos à frente da Caixa de Assistência e da Ordem, estaremos sempre com os heróis da sociedade. Não precisamos de outros heróis de ficção, além daqueles que estão aqui fardados e representando a sociedade civil”, disse Rodolfo.

O coronel Castilho pontuou o destaque da Casag e da seccional goiana da Ordem. “Todos os estados em que se percorre percebe-se sua superioridade. Exemplo de gestão de um administrador que atua não só para Ordem dos advogados, mas para o mundo aberto e para a sociedade”.

Na ocasião, também aconteceu homenagem aos policiais que colaboraram com a Corregedoria da Polícia Militar do Estado de Goiás e a inauguração da nova unidade do Comando de Correição e Disciplina. O 1° Tenente QOPM Moacir José Albino Júnior também foi homenageado, emprestando seu nome ao Quartel do Comando de Correições e Disciplina da PMGO. O Tenente J. Júnior trabalhou na referida unidade de 2001 a 2003, ano em que foi executado em razão da sua função.