Quer participar de um leilão? Confira algumas dicas para não cair em um golpe

O leilão é conhecido por trazer diversas oportunidades de comprar imóveis, carros, bens de diversos tipos com preços mais acessíveis, alguns desses eventos inclusive acontecem de forma online, principalmente depois da pandemia. Com isso, começou a surgir um número muito alto de pessoas má intencionadas que começaram a aplicar golpes em quem deseja participar, de acordo com o Sindicato Leiloeiro, estima-se que desde março foi constatado 400 páginas fraudulentas.

“Essa não é uma prática nova, já existe há um certo tempo, inclusive já aconteceu comigo quatro vezes e a última foi recente, na terceira semana de julho. Eles utilizam de servidores internacionais, costumam utilizar nomes de leiloeiros oficiais e até mesmo endereços que existem, mas que são de outros leiloeiros, dificultando o bloqueio do site e a justiça de encontrá-los”, explica Claudia Frazão, leiloeira da Frazão Leilões desde 2009.

Com isso, além de prejudicar as pessoas que se envolveram, faz com que a prática de leilões seja considerada arriscada, sendo que não é. Por isso se você deseja participar de algum leilão, a Claudia preparou algumas dicas para não ser vítima de um golpe, veja:

Preste atenção no leiloeiro oficial

Todo leilão possui alguém que será responsável por ele, o leiloeiro. Essa profissão necessita de matrícula na Junta Comercial do seu Estado. Ao participar desse evento, verifique o nome completo e número de matrícula do leiloeiro e não exite em pesquisar o máximo que puder sobre a pessoa.

Consulta a Junta Comercial

Alguns sites fraudulentos montam suas informações com pedaços de outros sites, ou seja o nome é de um leiloeiro, mas o endereço do leilão presencial é de outro, e assim por diante. Por isso, nas Juntas Comerciais é possível ver se todas as informações condizem com o que está no site consultando o leiloeiro.

Atente-se ao domínio do site

Para dificultar que o site saia do ar ou que as pessoas por trás do golpe sejam descobertas, os servidores usados são internacionais. Logo, preste atenção, se o site possui domínio .com ou .com.br, se for apenas .com desconfie! O ideal é que seja .com.br, pois confirma a identidade brasileira, e é o mais utilizado pela classe no país.

Erros de português são comuns

Por não ser um site oficial, preparado para um leilão, algumas falhas gramaticais podem aparecer. Se o erro for muito perceptível, é melhor confirmar os dados e até mesmo perguntar para algum familiar ou colega que já esteja familiarizado com leilões.

Anúncios pode ser um gatilho, cuidado!

Ao fazer pesquisa pelo Google, por exemplo, verifique se o título do anúncio pago e o domínio abaixo são compatíveis, as pessoas têm a tendência de acreditarem serem seguros por serem patrocinados, mas não se engane. Essa forma de aparecer na mídia, pode ser uma estratégia para você entrar no link sem olhar as páginas abaixo ou a página oficial do leiloeiro. Prefira sempre pesquisar um nome de leiloeiro confiável, e na parte direita da tela você encontrará as informações como endereço, telefone e o website oficial.

Desconfie de pagamentos prévios

No Brasil, não é comum a forma de pagamento antecipado. Por isso, se algum leilão ou leiloeiro entrar em contato pedindo qualquer forma de depósito antecipado não acredite e nem pague, você poderá estar caindo em um golpe.

“Assim como qualquer outra compra que fazemos na internet, onde pesquisamos sobre o produto e a loja virtual, com o leilão não é diferente. Procurar saber sobre cada um desses detalhes é essencial e são essas pequenas atitudes que fazem toda a diferença e evita que você tenha problemas futuros”, afirma a leiloeira.