Pela primeira vez, lista sêxtupla da OAB-GO tem duas advogadas para a disputa da vaga de desembargador do TJGO

Wanessa Rodrigues

Dos 41 desembargadores do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO), apenas oito são do sexo feminino. Agora, há a chance desse número aumentar. Pela primeira vez, duas mulheres integram a lista sêxtupla da seccional goiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-GO) para disputar vaga destinada à advocacia para ocupar um cargo de desembargador no TJGO. As advogadas Antônia de Lourdes Batista Chaveiro Martins e Sônia Maria Carneiro Caetano Fernandes estão entre os seis profissionais escolhidos pelo Conselho Seccional, em sessão que foi encerrada na noite de ontem (28/10).

Em 2018, quando também se formou lista sêxtupla para vaga destinada ao quinto constitucional da advocacia, apenas Antônia Chaveiro ficou entre os seis mais votados. Inclusive, ela chegou a ser a compor a lista tríplice do TJGO. Na ocasião, o então advogado Guilherme Gutemberg foi o escolhido para ocupar a vaga deixada pela aposentadoria do desembargador Geraldo Gonçalves.

Advogada Antônia Chaveiro.

Ontem, em sua apresentação, Antônia Chaveiro, que teve 30 votos, disse que colocou seu nome à disposição por saber das dificuldades enfrentadas pelos advogados. Salientou que, caso se torne magistrada, a intenção é ter o olhar diferenciado do advogado, que “está do lado de cá do balcão”. “Podem ter certeza que levarei todo a nossa classe para o Tribunal de Justiça. Nunca podemos nos esquecer de onde viemos. Isso norteia a condução de nosso trabalho. Orgulharei toda a nossa classe”, ressaltou.

Antônia Chaveiro é professora universitária, gestora do curso de Direito da Universidade Salgado de Oliveira (universo). Ex-diretora de Recursos Humanos do TJGO. Advogada militante na área de Direito de Família e Sucessões, Antônia também foi diretora-adjunta da Escola Superior de Advocacia (ESA-GO).

Oportunidade

Advogada Sônia Caetano.

Sônia Carneiro recebeu 44 votos de Conselheiros Seccionais, sendo a segunda mais votada, atrás apenas do advogado Anderson Máximo de Holanda, com 48 votos. Ela chegou a ter sua inscrição indeferida liminarmente por não ter apresentado prova de renúncia ao cargo de membro da Comissão da Mulher Advogada. Ontem, o relator, conselheiro Fabrício Cândido, havia indeferido o recurso da advogada. Contudo, a maioria seguiu voto divergente proferido pelo conselheiro Rubens Fernando, para que a advogada participasse do pleito.

Em sua apresentação, Sônia Carneiro disse que a formação desta lista sêxtupla é um momento histórico da advocacia, no qual os profissionais exercem a democracia. “Minha palavra é de agradecimento. E minha disposição é uma só, representá-los no Tribunal de Justiça, também trabalhando em todas as questões que são afetas à advocacia”, ressaltou a advogada.

Sônia é diretora Jurídica da Medialle, Câmara de Mediação e Conciliação. No currículo, além da atuação na a advocacia, ela já lecionou Direito Processual Civil na PUC-GO. E em 2008 e 2009 foi indicada pela Corte Especial do tribunal goiano para integrar a listra tríplice concorrendo a vaga de juiz do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-GO).

Escolha
Além de Antônia Chaveiro e Sônia Caetano, compõe a lista sêxtupla Anderson Máximo de Holanda (48 votos), Alexandre de Morais Kafuri (34),  Marcelino Assis Galindo (31), e Ricardo Baiocchi Carneiro (28).

A exigência para integrar a lista sêxtupla é que o candidato tivesse a metade dos votos presentes mais um. Foram 49 votantes entre conselheiros seccionais e natos e a diretoria da OAB. A listagem se formou em um único escrutínio. Além dos seis, outro advogado teve boa votação. Vicente Lopes Júnior recebeu 27 votos. Foi o sétimo mais votado.

O presidente da OAB-GO, Lúcio Flávio de Paiva, assinou o ofício que deve ser remetido em até cinco dias ao TJ-GO com a lista sêxtupla, acompanhada dos currículos dos candidatos escolhidos. Conforme o rito previsto pelo ordenamento jurídico, o Tribunal deve escolher três nomes (lista tríplice) e os encaminhar ao chefe do Executivo. Caberá ao governador Ronaldo Caiado (DEM), por fim, escolher o nome do novo desembargador a ocupar a vaga destinada à advocacia.

Confira os votos de cada uma os candidatos de acordo com ordem alfabética de votação

Anderson Máximo de Holanda – 48 votos
Alexandre de Morais Kafuri – 34 votos
Antônia de Lourdes Batista Chaveiro Martins – 30 votos
Augusto César Rocha Ventura – 10 votos
Breno Boss Cachapuz Caiado – 13 votos
Carla Sahium Traboulsi – 1 voto
Cláudio Louzeiro Gonçalves de Oliveira – 1 voto
Dimitry Cerewutá Jucá – 0 voto
Eduardo Antunes Scartezini – 5 votos
Francisco José Gonçalves Costa – 3 votos
Gilmar de Oliveira Mota – 5 votos
João Batista Fagundes Filho – 4 votos
Marcelino Assis Galindo – 31 votos
Paulo Roberto Balduíno Nascimento – 0 voto
Ricardo Baiocchi Carneiro – 28 votos
Roberto Rodrigues – 0 voto
Ronaldo David Guimarães – 0 voto
Rosângela Magalhães de Almeida – 3 votos
Sônia Maria Carneiro Caetano Fernandes – 44 votos
Tênio do Prado – 4 votos
Vicente Lopes da Rocha Júnior – 27 votos