Designado para a Comissão Nacional de Relações Internacionais da OAB, Carlos André vai propor a criação de manual de redação jurídica

Marília Costa e Silva

O advogado e professor Carlos André Pereira Nunes foi designado, pela Portaria 853/2019, do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), para integrar a Comissão Nacional de Relações Internacionais da instituição como membro consultor. Conselheiro seccional da OAB de Goiás, ele explica deverá propôr ao presidente do CFOAB, Felipe Santa Cruz, e ao presidente da comissão Cláudio Lamachia a criação de um manual de redação jurídica para os países de língua portuguesa.

“Nesse manual, por exemplo, ficaria definido o uso de pronomes de tratamento como vossa excelência, excelentíssimo, vossa senhoria (de secular tradição nas comunicações oficiais) e até mesmo a utilização do axiônimo doutor (que nem é pronome de tratamento) em todos os países lulusófonos”, explica Carlos André, que considera uma honra atuar na comissão ao lado de Lamachia, que é ex-presidente da OAB Nacional.

Carlos André Pereira Nunes

Gestão de peças processuais

Além do trabalho na comissão, Carlos André, que é especialista em Redação Jurídica e em Português Forense, começou a ofertar um serviço pioneiro aos advogados de todo o País. Trata-se de gestão de petições, contestações, embargos, pareceres, sustentação oral, entre outros, de forma que os escritórios de advocacia tenham condições de ter um estilo próprio que o identifica independentemente de qual advogado atue em cada caso defendido.

Carlos André, que é representante do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para Tratados Internacionais sobre a Nova Ortografia, explica que a ideia do novo serviço surgiu após um curso de administração de gestão. “Percebi que poderia ajudar os escritórios a criarem um manual de peças jurídicas para que todos os advogados que atuam ali possam escrever ou mesmo fazer uma sustentação oral de forma padronizada, encontrando as orientações em um guia com peças processuais feito especialmente para cada local”, explica.

Sustentação oral perfeita

No próximo dia 29 de junho, Carlos André também vai dar o segundo curso, no instituto que leva seu nome, no Setor Bueno, em Goiânia, sobre sustentação oral perfeita, no qual abordará aspectos linguísticos, a importância do tom para o advogado, vícios de linguagem, entre outros pontos fundamentais para quem quer se destacar na sustentação oral. “Percebemos uma demanda crescente por advogados interessados em maximizar e melhorar sua atuação nos tribunais. O objetivo da aula é que seja bastante prática, com estratégias de como potencializar a atuação; por isso, trabalharemos com turmas pequenas e de forma bem direcionada às necessidades destes profissionais”, afirma.