Operação Voto Limpo investiga vereador eleito de Goiatuba por compra de votos

O Ministério Público Eleitoral (MPE), em parceria com a Polícias Federal, Civil e Militar de Goiás, Centro de Inteligência do Ministério Público e apoio do Gabinete de Segurança Institucional do Ministério Público cumprem, na manhã desta terça-feira (01), nove mandados de busca e apreensão deferidos pelo Juízo Eleitoral da 38ª Zona Eleitoral de Goiatuba.

A Operação Voto Limpo busca apurar suposto esquema de compra de votos praticado, em tese, por vereador eleito e sua equipe. O aliciamento de eleitores advinha do pagamento de 50 reais em vale-combustível por veículo adesivado da campanha do vereador, bem como de 100 reais por voto computado.

Entre o material apreendido há diversos equipamentos eletrônicos, celulares, listas com nomes de eleitores e demais documentos que serão analisados no curso da investigação.

Os crimes investigados vão desde ilícito eleitoral cível (artigo 41-A da Lei nº 9.504/97), bem como delitos de corrupção eleitoral (artigo 299 do Código Eleitoral), falsidade ideológica eleitoral (artigo 350 do Código Eleitoral), associação criminosa (artigo 288 do Código Penal), e o delito de transporte de eleitores no dia da votação (artigo 10 combinado com o art. 11, inciso III, da Lei nº 6.091/74). Fonte: MP-GO