Goiana Arlete Mesquita representa Abrat em ato que pede celeridade no caso da chacina de Unaí

Ato público foi realizado no TRF1, em Brasília

A vice-presidente da Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat), a goiana Arlete Mesquita, esteve presente no Ato Público pelos 16 anos da Chacina de Unaí realizado nesta terça-feira (28), em frente ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), em Brasília (DF). A iniciativa teve por objetivo sensibilizar o Judiciário para dar efetividade ao processo e por fim a demanda que já se arrasta por exatos 16 anos.

Na oportunidade, além da Abrat, estiveram presentes representantes de várias entidades. Arlete Mesquita afirmou que a instituição levou a solidariedade da Advocacia Trabalhista Brasileira e o pedidos de sensibilidade aos integrantes do TRF1 para priorizarem os atos processuais “afim de que não tenhamos que estar juntos em 2021 pedindo as mesmas providências, afinal Justiça que tarda Falha”.

O caso

A Chacina de Unaí ocorreu na cidade brasileira de Unaí, Minas Gerais, em 28 de janeiro de 2004, quando quatro funcionários do Ministério do Trabalho e Emprego foram assassinados na região, durante uma fiscalização de rotina em fazendas. Segundo investigação do Ministério Público Federal (MPF), os auditores do trabalho Nelson José da Silva, João Batista Lage e Eratóstenes de Almeida Gonçalves, e o motorista Ailton Pereira de Oliveira faziam uma operação de fiscalização quando foram assassinados por Rogério Alan Rocha Rios e Erinaldo de Vasconcelos Silva.