João de Deus deve ser ouvido nos próximos dias pela polícia, diz advogado

O advogado do médium João de Deus, Alberto Toron, procurou a Polícia Civil nesta segunda-feira (10) espontaneamente e informou que seu cliente deve se apresentar nos próximos dias para ser ouvido. A data, no entanto, não foi confirmada. Outras quatro mulheres que também afirmam ter sido vítimas do líder religioso devem prestar depoimentos nesta semana.

João de Deus deverá ser ouvido na sede da Delegacia de Investigações Criminais (Deic), que fica na Cidade Jardim, e é a unidade que concentra as investigações de abuso sexual contra o líder espiritual que mantém uma casa espírita em Abadiânia. O programa Conversa com Bial, da TV Globo, exibiu no início da madrugada do último sábado (8), depoimentos de mulheres que acusam João de Deus de abuso sexual.

Uma força-tarefa constituída por quatro promotores foi criada pelo Ministério Público de Goiás para coletar depoimentos e conduzir as investigações em relação às acusações de crimes sexuais contra o médium João Teixeira de Faria, o João de Deus. A força-tarefa dará apoio ao promotor Steve Gonçalves Vasconcelos, que está atuando em Abadiânia, e concentrará as investigações sobre as denúncias de eventuais abusos que chegarem a partir de agora – a condução dessas novas apurações ficará, assim, com o MP. Para auxiliar as apurações e a coleta dos depoimentos, o grupo contará com o apoio de duas psicólogas da equipe do MP, já designadas para essa tarefa.

A força-tarefa esclareceu que, diante do volume de vítimas mostradas pela imprensa e diante do fato de que boa parte delas reside fora de Goiás (algumas no exterior), não há necessidade, neste momento, de que se desloquem ao Estado para registrar seus depoimentos. Para isso, foi criado um e-mail específico para o recebimento desses casos: [email protected] Os relatos poderão ser encaminhados por esse e-mail, cujo sigilo é assegurado, pois ele só será acessado pelos integrantes da força-tarefa.