Projeto que classifica atividades das igrejas como essenciais é aprovado em segunda votação na Alego

Por unanimidade, foi aprovado em segunda votação, em Plenário, na sessão ordinária híbrida desta quinta-feira (10), da Assembleia Legislativa de Goiás, o Projeto de Lei n° 2349/20, de autoria do deputado Jeferson Rodrigues (Republicanos), que classifica as atividades das igrejas, e outros templos religiosos, como atividade essencial, em período de calamidade pública causada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

“Entendemos que a igreja é o hospital da alma. Quantas pessoas, da periferia ou bairros nobres, não possuem condições de arcar com psicólogos ou psiquiatras e encontram nas igrejas alguém para ouvir seus desabafos e orientá-las?”, questionou o parlamentar, que já subiu à tribuna por três vezes para defender a imediata aprovação de sua propositura. Jeferson é pastor licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

Jeferson Rodrigues pediu aos prefeitos dos 246 municípios goianos que não fechem os templos religiosos. “Sabemos que, em tempos de pandemia, diversas pessoas estão enfrentando a síndrome do pânico, a depressão e outras aflições”.

O deputado lembra aos prefeitos que o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu aos municípios autonomia para tomar decisões relacionadas ao combate à covid-19. “O prefeito de cada cidade poderá editar normas específicas, e eu peço, novamente, que não fechem os templos religiosos”, salientou Jeferson.

Ressaltou, ainda, que nesse período de pandemia, muitas pessoas estão sofrendo com diversas perdas emocionais e financeiras, e que o funcionamento das igrejas é essencial. “Sabemos da importância de templos religiosos para a sociedade e temos certeza de que é possível continuar funcionando sem aglomerações, sem multidões, mas recebendo os fiéis, que tanto precisam de apoio nesse momento. A fé também é uma grande aliada no combate à pandemia”, finalizou.