TJGO inclui óticas entre os serviços essenciais, permitindo a abertura em Goiânia

O deputado estadual Delegado Eduardo Prado, em ação conjunta com o Sindiopticas, Fecomércio e o vereador Wellington Bessa, conseguiu liminar na Justiça nessa terça-feira (16) para que as óticas sejam consideradas erviço essencial e fiquem abertas durante decreto restritivo em Goiânia.

A liminar foi deferida pela desembargadora do Tribunal de Justiça de Goiás Nelma Branco. Na decisão, a magistrada destaca que a comercialização de produtos e prestação de serviços destinados à correção visual constituem atividades essenciais.

“Recebi diversas mensagens, de motorista do Samu que precisava fazer óculos após acidente durante serviço, mães que precisavam aviar receita de óculos para os filhos que estão em aulas remotas, motoristas de caminhões que precisavam aviar receitas para exercerem a profissão”, explica deputado.

Sem retorno do Executivo

Na última semana, o parlamentar afirma que havia se reunido com o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, com o presidente do Sindióptica-GO, José Geraldo, vereador Wellington Bessa, comerciantes para discutir sobre a reabertura das óticas. Porém, segundo ele, não houve um retorno do Executivo o que motivo a ação na Justiça.