OAB-GO cria comissão para acompanhar investigações sobre assassinato de advogado em Aruanã

Hans Brasiel atuava na área criminal/Foto: reprodução Facebook

Comitiva de representantes da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO) compareceu ao velório de Hans Brasiel da Silva Chaves nesta sexta-feira (7) e prestou solidariedade à família do advogado assassinado ontem (6), em Aruanã. O corpo está sendo velado no Cemitério Jardim das Palmeiras, em Goiânia, e será sepultado às 17 horas.

Estiveram presentes em Aruanã os presidentes das Comissões de Direitos Humanos, Roberto Serra da Silva Maia; de Segurança Pública e Política Criminal, Edemundo Dias; de Direitos e Prerrogativas, David Soares; de Direito Criminal, Rogério Leal; e Especial de Direito Penitenciário e Sistema Prisional, Marcelo Bareato. Na ocasião, eles informaram que a diretoria da OAB-GO criou comissão de trabalho, presidida por Edemundo Dias, para acompanhar a investigação desse e dos demais casos de violência contra advogados em Goiás.

A comissão da OAB-GO vai realizar uma força-tarefa para levantamento de casos de violência a advogados

Como primeira ação, a comitiva irá se reunir na próxima segunda-feira (10) com o delegado-geral da Polícia Civil Odair José Soares para tratar do andamento da investigação e buscar respostas céleres sobre a autoria do crime. Além disso, a comissão vai realizar uma força-tarefa para levantamento de informações sobre casos de violência a advogados no estado. “Qualquer ato de violência contra a advocacia é um ato de violência contra a cidadania e a República”, evidenciou Edemundo.

O caso

Hans Brasiel, de 31 anos, foi baleado dentro de seu escritório, no centro da cidade de Aruanã, no Noroeste Goiano, na tarde desta quinta-feira (6). O advogado levou três tiros e o atirador fugiu em seguida. O veículo e o autor dos disparos ainda não foram identificados pela Polícia. A vítima chegou a ser socorrida mas acabou morrendo no Hospital Municipal de Araunã.

Hans atuava na área criminal. Para a OAB, o crime aparentemente está relacionado ao seu exercício profissional. “O fato é gravíssimo e representa um ataque não apenas a toda a advocacia, mas à própria Justiça, ao Estado Democrático de Direito e a toda a sociedade goiana”, pontuou a Diretoria da OAB-GO em nota publicada ontem. Com informações da OAB-GO