Júri popular condena homem por homicídio motivado por briga em rede social

Johnathan Amâncio da Silva foi condenado pelo júri popular, nesta sexta-feira (10), a 15 anos de prisão pelo homicídio de Jean Carlos da Silva Souza, em uma lan house, motivado por discussão originada em rede social. A sessão foi presidida pelo juiz da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri da comarca de Goiânia, Jesseir Coelho de Alcântara.

O crime aconteceu no dia 10 de maio de 2015, no Setor São Francisco. Conforme a denúncia, dias antes, a companheira do réu, Natália Araújo Vasconcelos, havia discutido com a namorada da vítima no Facebook e, na data do homicídio, houve nova discussão entre as duas mulheres. A briga se tornou presencial, uma vez que as duas usavam a mesma lan house.

Ainda conforme a denúncia, Natália teria chamado Johnathan Amâncio para participar da discussão, que chegou, inclusive, a ameaçar o casal. Passados 10 minutos de encerrada a rixa, o acusado voltou armado à lan house e surpreendeu Jean atirando. Para o Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), Natália participou ativamente do homicídio, uma vez que incitou o namorado a cometer o crime. Contudo, o conselho de sentença decidiu pela absolvição da mulher.