quinta, 13 de dezembro de 2018 62 9 9904-5026
Polícia Federla

Jayme Rincón e Júlio Vaz são presos na Operação Confraria

Jayme Rincón e Júlio Vaz

O ex-presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop) Jayme Rincón e o presidente da Codego, Júlio Vaz, foram preso na manhã desta quinta-feira (6) pela Polícia Federal durante a Operação Confraria e tem como objetivo desarticular organização criminosa voltada para cobrança, recebimento e ocultação de valores indevidos no âmbito da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás.

Cerca de 50 policiais federais estão cumprindo 10 mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão temporária, além de sequestros de imóveis, nas cidades de Goiânia, Caldas Novas, Aruanã, Brasília (DF) e Búzios (RJ), todos expedidos pela 11ª Vara da Justiça Federal em Goiânia. Uma equipe da PF esteve no 6º andar do Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

O advogado de Jayme Rincón, Luiz Alexandre Rassi, declarou que não teve acesso à investigação, o que impede que possa adotar medidas em favor de seu cliente, como um pedido de liberdade. “Estão impondo um prejuízo temporal muito grande para solucionar esse problema. Vão impor uma prisão de um dia porque não foi entregue a investigação”, disse.

Cash Delivery

A Operação Confraria é um desdobramento da Operação Cash Delivery deflagrada em setembro deste ano quando foram presas cinco pessoas, entre elas, Jayme Rincón e o ex-governador Marconi Perillo.

A operação investiga o recebimento de propina de R$ 12 milhões durante as duas últimas gestões de Marconi Perillo (PSDB), no governo estadual, em troca de favorecer empreiteiras em contratos e levaram como base conteúdo das colaborações premiadas de executivos da Odebrecht realizadas junto à Procuradoria-Geral da República.

Comentários



Receba nosso informativo

Cadastre-se em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do portal Rota Jurídica