Após pedido da OAB-GO, TJGO se compromete a informar previamente manutenção do Projudi

A Diretoria de Informática do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) se comprometeu a informar de forma prévia as manutenções do Projudi (programadas e emergenciais). A medida atende pedido feito pela Ordem dos Advogados do Brasil –
Seção Goiás (OAB-GO), que esclarece que os dados serão repassados a uma lista de transmissão, composta por representantes do sistema de administração e Justiça, incluindo OAB-GO, Ministério Público, Defensoria Pública e Procuradoria Geral do Estado. .

O presidente da Comissão de Direito Digital da OAB-GO, Paulo Emílio, um dos responsáveis pela interlocução institucional para resolução do problema afirma que serão informados os horários previstos para início e fim das paralisações. “A medida certamente irá aperfeiçoar a comunicação entre o Tribunal e os usuários do Projudi”, afirma Paulo Emílio.

O diretor de Informática do TJ, Anderson Yagi Costa, diz que “todos ficarão cientes, com antecedência, e poderão se programar e orientar os interessados”. As informações das manutenções também serão postadas no Instagram oficial do TJGO (@tjgooficial).

Indisponibilidade

Na última segunda-feira (5 de outubro), em reunião virtual entre o secretário-geral Seccional Goiana, Jacó Coelho, e o presidente da Comissão de Direito Digital da OAB-GO, Paulo Emílio, o juiz auxiliar da Presidência do TJ-GO, Cláudio Castro, juntamente com o diretor de TI do TJGO disseram que o Tribunal já trabalha para encontrar uma solução para as indisponibilidades do Projudi.

Jacó Coelho explica que a reunião buscou constatar a origem das instabilidades no Projudi. Hoje, o banco de dados do sistema é acessado automaticamente por quatro instituições do sistema de Justiça. O acesso automático, que se dá pelo serviço de webservice, seria uma das possíveis causas das instabilidades, impedindo o peticionamento e consulta de cerca de 40 mil advogados. Com informações da OAB-GO