Trindade vai iniciar projeto-piloto de uso de aplicativo para segurança de vítimas de violência doméstica

Uma plataforma multioperacional, utilizada em 150 países para oferecer assistência às vítimas de violência doméstica, vai ser iniciada, em projeto-piloto, na comarca de Trindade. A iniciativa é da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO).

O aplicativo vai além da função “botão do pânico”, na qual a usuária pode acionar se estiver sentindo-se ameaçada pelo agressor. Integrado a centros de apoio psicossociais e centrais de monitoramento de segurança, as mulheres atendidas podem, por meio de chat, receber ajuda psicológica junto a grupos de acolhimento.

Além disso, o programa oferece vigilância automatizada, que detecta aproximação do agressor – nos casos de uso de tornozeleira eletrônica – disparando alarmes e avisos para centrais de monitoramento, agentes de segurança e para a própria mulher. Outra funcionalidade da tecnologia é a gravação de vídeos e imagens, caso a mulher necessite de provas. O conteúdo é auditável e poderá ser juntado ao processo criminal.

De acordo com o juiz Vitor Umbelino, vice-presidente da Coordenadoria, a expectativa é de que, por meio do uso de moderna tecnologia, “o projeto contribua de forma significativa com uma melhor e mais qualificada proteção da mulher em situação de violência doméstica, especialmente nesse período de pandemia da Covid-19, onde os canais de comunicação entre a vítima de violência e o Poder Público encontram-se, em sua grande parte, comprometidos”.

Utilização
O delineamento do projeto será elaborado por meio de reuniões com o Ministério Público, Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Trindade, Defensoria Pública, Polícia Militar, OAB e Guarda Civil municipal. Assim, serão definidos, por exemplo, quais requisitos serão observados para a escolha dos casos selecionados para o projeto-piloto e como serão tabulados os dados estatísticos que darão suporte à avaliação da efetividade do novo procedimento.

As tratativas foram feitas em reunião no início desta semana, na qual participaram a presidente da Coordenaria, desembargadora Sandra Regina Teodoro Reis, os juízes Vitor Umbelino Soares Junior e André Reis Lacerda, o deputado estadual e delegado Eduardo Prado e sua chefe de gabinete Erly Paula Moreira de Melo, o representante da empresa concessionária da plataforma Arthur Pablo Gonçalves Silva, e as servidoras Daniela Rezende, Daniele Rodrigues e Lucelma Messias. Fonte: TJGO