TJGO realiza audiência de conciliação via WhatsApp com parte que reside na Itália

Nem mesmo uma distância de 9.069 quilômetros foi capaz de impedir a solução de uma ação de indenização por danos materiais e morais em que a parte foi vítima de golpe pela internet, relativo à venda falsa de um veículo. Na manhã de terça-feira (27), o juiz Murilo Veira de Faria, do 4º Juizado Especial Cível de Goiânia, realizou audiência de conciliação entre um advogado que mora na Itália e outra parte que reside em Goiânia, por meio do aplicativo WhatsApp (chamada de vídeo). A ação teve o incentivo da Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás.

Por meio dessa iniciativa, as partes conseguiram chegar a um acordo para resolver a demanda. A sentença de homologação do acordo foi proferida pelo magistrado logo após a audiência, na qual ele declarou extinto o feito. De acordo com os autos, o morador de Goiânia teria sido vítima de um golpe aplicado, via OLX, quando se interessou por um veículo, em 13 de fevereiro deste ano. O defensor do advogado envolvido na venda disse que, na verdade, as duas parte foram vítimas de golpe, que teve o envolvimento de uma terceira pessoas.

Satisfeito com a solução amigável do conflito, o juiz Murilo Faria ressaltou a boa fé das partes e comemorou a conciliação, ressaltando a importância das ferramentas tecnológicas na resolução dos conflitos que, a seu ver, é uma forma simples, rápida, eficiente e sem burocracia de colocar fim a demandas que abarrotariam ainda mais a Justiça. O magistrado também elogiou a atitude da Corregedoria-Geral da Justiça de Goiás por incentivar e autorizar a sua iniciativa de realizar a audiência pelo WhatsApp.

“É uma grande alegria ter a oportunidade de presidir uma audiência em que estiveram unidos o espírito de consenso das partes, os novos métodos tecnológicos em prol da solução de conflitos e o profissionalismo de servidores deste juizado que me auxiliaram neste momento.

O magistrado disse, ainda, que a vivemos novos tempos e a sociedade clama por celeridade e eficiência. Segundo salientou, a solução desta demanda via WhatsApp é uma prova de que a Justiça atual tem buscado, continuamente, a melhora da prestação jurisdicional sob um viés mais humano e eficiente. “Também gostaria de agradecer oficialmente ao corregedor-geral da Justiça de Goiás, desembargador Kisleu Dias Maciel Filho, pelo apoio e pela sensibilidade a esta iniciativa”, elogiou. (Com informações da Diretora de Comunicação da Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Goiás)