Projeto aprovado garante direito ao luto de famílias que tiveram perdas gestacional, neonatal e infantil

Vereador Andrey e Sherloma

“Nenhuma mãe está preparada para gerar um filho e não levá-lo para casa. Nenhum pai se prepara para ouvir que ‘não há mais batimentos cardíacos’. Ninguém deseja ser pai e mãe de anjo”. A mensagem, em tom de desabafo, é da assistente social Sherloma Aires. Ela e o marido, Felipe, deram à luz ao Gregório no dia 28 de fevereiro deste ano. Dois dias depois, Greg, como era carinhosamente chamado pelos pais, faleceu.

Gregório também virou nome de lei. O projeto apresentado pelo vereador Andrey Azeredo (MDB) – já aprovado em duas votações e pronto para sanção do prefeito Iris Rezende – institui e inclui no calendário oficial de Goiânia a Semana de Sensibilização à Perda Gestacional, Neonatal e Infantil no período que compreende o dia 15 de outubro, data marcada em vários países como o Dia de Conscientização sobre Perda Gestacional e Infantil.

“Tive o privilégio e a honra de ser escolhido pelo Felipe e pela Sherloma para encampar este projeto na Câmara. Eles são os idealizadores de tudo isso. Nosso objetivo é lutar por respeito ao luto dos pais que passam por este tipo de perda, dar visibilidade a um tema tão sensível como esse, dignificar o sofrimento e dar voz a estas famílias e promover a humanização do atendimento nos ambulatórios e hospitais”, detalha Andrey Azeredo.

Sherloma e o marido, Felipe, inspiraram-se em iniciativas semelhantes que foram implementadas em outros municípios. E o luto então foi dando lugar à luta. E antes mesmo que o projeto começasse a tramitar na Câmara de Goiânia, a caminhada de ambos foi ganhando novos apoiadores. O resultado é que naquele mesmo tom de desabafo, agora há espaço também para convocação: “precisamos dignificar o luto desses pais, ampará-los e dar voz à sua dor. Precisamos quebrar o silêncio”, diz a mãe do pequeno Gregório.

E nesta terça-feira (15), dezenas de pais e mães de anjos, amigos e parentes deles, estarão todos juntos em um grande ato público que será realizado em frente ao Paço Municipal, às 9 horas. “Junte-se a nós. Vamos dar as mãos e oferecer nosso abraço a tantos papais e mamães que têm chorado em silêncio”, convoca Sherloma, que ainda pede que todos estejam vestidos com roupas brancas.

A expectativa é que no dia 15 o prefeito sancione o projeto de lei. “Acredito que agora vamos ter políticas públicas mais efetivas direcionadas a estas famílias, tratando de forma mais adequada este momento único na vida destes pais”, acrescenta o vereador.