Programas de compliance são fundamentais no processo de retomada dos negócios, aponta especialista

No atual cenário, é inegável que as empresas buscam superar os desafios de um ambiente econômico instável e repleto de obstáculos a serem superados. As medidas restritivas determinadas pelas autoridades, a exemplo do isolamento social, somadas às fragilidades do contexto econômico, impactaram os mais variados segmentos empresariais.

Para a advogada Bruna Piza, especialista em compliance, é justamente neste cenário de incertezas que se faz necessária a adoção de medidas capazes de gerenciar os riscos e aproveitar as oportunidades que o momento oferece. “As decisões devem ser tomadas de forma planejada e segura com o auxílio do setor de compliance, todas com o intuito de promover a retomada das atividades da empresa”, diz.

Advogada Bruna Piza

Segundo ela, é preciso analisar as alterações normativas e seus reflexos no seu negócio para, então, verificar a necessidade de mudar os rumos da estratégia. “Havendo mudança ou não, comunique seu posicionamento, de forma clara e rápida, à sua equipe para que todos estejam alinhados”, orienta Piza.

Quanto à equipe, ela acrescenta que é fundamental avaliar o seu mercado e definir o melhor formato de trabalho para o seu negócio. “Devo optar pelo mesmo tipo de prestação de serviços que recebia antes da pandemia? Considerando a experiência do trabalho remoto ou mesmo da redução da equipe, consigo estabelecer uma nova forma de atividade?”, suscita.

Estratégias

Bruna Piza reforça a necessidade de revisitar a experiência do seu cliente com o seu produto ou serviço, considerando que, com o período de rígido distanciamento social, novos costumes foram incorporados à sociedade. “Será que o meu cliente espera que eu entregue o meu produto ou serviço da mesma maneira? Quais ajustes são necessários? Deve-se preservar ao máximo o elo de lealdade que o cliente tem com a minha empresa”, pontua.

Além disso, deve-se reavaliar os contratos firmados pela sua empresa. De acordo com ela, levando em conta as mudanças no seu modelo de negócio, bem como as prováveis mudanças de perspectivas do seu mercado, é importante analisar se ainda é viável a manutenção de todos os contratos e quais deles devem passar por uma repactuação ou mesmo rescisão.

“O intuito é garantir a retomada do funcionamento da organização em um nível aceitável, resguardando seus interesses, sua imagem e sua reputação, bem como suas atividades-fim de maior valor agregado”, finaliza a especialista.