Pesquisa aponta que mais de 63% das empresas de prestação de serviços precisam se adequar à LGPD

Assegurar a privacidade e proteção dos dados pessoais é essencial para garantir o relacionamento de empresas brasileiras com as de outros países. Assim nasceu a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrou em vigor em setembro deste ano em meio à digitalização iminente que foi ainda mais acelerada com a pandemia. No entanto, apenas 37,54% dos negócios de prestação de serviços estão em conformidade com as exigências da nova lei. É o que aponta o Índice LGPD Abes, ferramenta desenvolvida pela Associação Brasileira das Empresas de Software, em parceria com a EY.

O Índice LGPD Abes permite o diagnóstico de empresas em relação à sua adequação à nova lei e que já conta com a participação de mais de 2.050 empresas, de diversos segmentos. Com o intuito aumentar o número de empresas preparadas para a LGPD, o Abes Academy, área de educação e formação continuada da entidade, vai ministrar curso on-line sobre o tema.

O número não é alarmante apenas para o setor de prestação de serviços: no cenário geral apenas 39,45% dos requisitos da LGPD são atendidos. Segundo o presidente da Abes, Rodolfo Fücher, estar em conformidade com a LGPD é um desafio de todas as áreas de uma empresa, recursos humanos, vendas, marketing, financeiro, administrativo, e principalmente o jurídico e TI, que precisam assegurar a existência de processos claros e recursos adequados para prevenir uso inadequado dos dados e evitar vazamentos de informações e ataques de hackers.

A pesquisa revela que o segmento está distante da conformidade, já que 75,9% realizam a coleta dos dados sigilosos e 26,9% já sofreram incidente de violação nos últimos 2 anos. “É comum os contratos de prestações de serviços conterem dados sensíveis e é com isso que as empresas do setor devem ter cautela, já que, no caso de vazamento dessas informações, além da multa de até 2% do faturamento da empresa, a imagem da prestadora pode não ser mais a mesma”, explica Fücher.

Ao se deparar com dados tão preocupantes, a Abes tem o objetivo de alertar, e também oferecer ferramentas e referências com o propósito de ajudar as empresas em sua adequação diante das exigências da LGPD. Além de oferecer sugestões de como a companhia pode se adequar às conformidades após responder ao índice e gerar seu resultado, a entidade abriu inscrições para a quinta turma do curso Lei Geral de Proteção de Dados: Fundamentos e Implementação, do Abes Academy, que será realizado de 9 a 19 de novembro, para disseminar mais conhecimento sobre o tema.

De acordo com Thomaz Côrte Real, consultor jurídico da associação, é importante fomentar o interesse das empresas no assunto para orientá-las sobre como cumprir a lei. “Esse curso é um dos poucos que contempla tanto as questões que envolvem a implementação jurídica quanto a técnica, então é uma ferramenta completa para quem precisa aprender e ficar em conformidade. Não há mais tempo a perder, as organizações precisam se adequar o mais rápido possível”, afirma.

Para acessar o índice e fazer o diagnóstico, clique aqui. A ferramenta é gratuita e está à disposição de todas as empresas, sendo associadas da Abes ou não. Já para se inscrever no curso do Abes Academy, acesse o site do Sympla.