MPF e PF deflagram operação para investigar esquema de corrupção no TJMG

Na manhã desta quarta-feira (18), o Ministério Público Federal e a Polícia Federal cumprem mandados de busca e apreensão em investigação sobre um suposto esquema de corrupção envolvendo desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). A autorização das investigações é do ministro do Superior Tribunal de Justiça Jorge Mussi, que determinou a quebra de sigilos fiscal e bancário dos suspeitos.

A operação foi batizada de Cosme e objetiva apurar a atuação de advogados que, juntamente com os magistrados do Tribunal mineiro, são suspeitos de influenciarem no andamento de processos judiciais em troca de propina. As investigações tiveram início após serem encontradas, em um celular de um advogado apreendido da Operação Capitu, mensagens indicando a venda de sentenças.

A Operação Capitu foi deflagrada em 2018 e prendeu o empresário Joesley Batista, o ex-vice-governador de Minas Gerais Antônio Andrade e o ex-ministro da Agricultura Neri Geller. As investigações apuraram supostos pagamentos de propina para um grupo que atuava, entre 2014 e 2015, na Câmara dos Deputados e no Ministério da Agricultura.