MP investiga profissional que não teria injetado vacina contra Covid-19 em idosa

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) abrirá uma investigação para apurar o suposto caso envolvendo uma profissional que teria simulado a aplicação de vacina contra a Convid-19 em uma idosa de 88 anos. Apesar de furar o braço da mulher com agulha, o líquido contido na seringa para imunizá-la não foi injetado. O caso teria ocorrido nesta quarta-feira (10), em Goiânia, e ganhou destaque após a filha da idosa divulgar imagens nas redes sociais.

A titular da 87ª Promotoria de Justiça de Goiânia, Marlene Bueno, explicou que o caso vem em um momento de bastante “ansiedade”, devido a pandemia e que o MP pretende “garantir que situações assim não se repitam”, para tranquilizar a população goiana. A primeira providência tomada foi o pedido de afastamento da profissional, que foi realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

A promotora afirmou ainda que ouvirá todos os envolvidos, incluindo a idosa e sua filha, a profissional que aplicou a vacina, a superintendência da SME e a coordenadora do local de vacinação. A previsão de Marlene é que até o final do dia 12, serão reunidas informações e uma perícia nas imagens será providenciada.