Idoso foi o primeiro a ser contemplado pela nova legislação do Programa Municipal de Habitação de Interesse Social da Prefeitura de Goiânia

O morador de rua José Ananias Ferreira, de 60 anos, mora embaixo de uma ponte no Setor Campinas, em Goiânia, em companhia de seus 18 cães, foi um dos que receberam os primeiros lotes cedidos pela Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) por meio do Programa Municipal de Habitação de Interesse Social.

A doação do lote, de aproximadamente 300 metros quadrados e localizado no Jardim Petrópolis, região Oeste da capital, só foi possível graças à nova legislação sobre o Programa Municipal de Habitação de Interesse Social, sancionada pelo prefeito Iris Rezende em agosto de 2018. A nova legislação permite a concessão do benefício às famílias residentes em áreas de risco, em áreas de preservação ambiental, bem como as prioridades definidas pelo Estatuto do Idoso.

Ananias comemora a doação. Ele ficou conhecido por ter recebido, no dia 15 de janeiro, uma notificação do município para saísse da ponte e levasse com ele os bichos. No entanto, poucos dias depois, depois da atuação da Defensoria Pública e da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), a ordem de despejo foi suspensa para estudos técnicos socioambientais que envolvem o caso. “Só tenho a agradecer a cada um que me ajudou nesse processo. Agora terei uma vida diferente, um teto onde a enxurrada não levará minhas coisas e meus animais terão um cantinho para serem melhor cuidados”, afirmou.

Quem também foi beneficiado com um lote foi Aquino Barbosa Maciel, 71 anos. Ele residia na Área de Preservação Permanente onde está sendo construído o Parque Nova Esperança e, com o início das obras da Prefeitura de Goiânia, também usou das prerrogativas da Lei de Habitação de Interesse Social para realizar a transferência do idoso para uma imóvel de propriedade do Município, também localizado no Jardim Petrópolis, na mesma região em que ele residia.