Mobilizados, pré-candidatos à presidência da OAB-GO já angariam apoio para as eleições de novembro

 

Rafael Lara Martins, Rodolfo Otávio Mota, Valentina Jungmann, Julio Meirelles e Pedro Paulo Medeiros

Marília Costa e Silva

Mesmo faltando sete meses para as eleições da OAB, marcadas para a segunda quinzena de novembro, os pré-candidatos já estão mobilizados em busca de apoio dos colegas. A conselheira federal da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás (OAB-GO), presidente da Comissão Nacional de Relações Institucionais do Conselho Federal da OAB, Valentina Jungmann, por exemplo, vem atuando para fortalecer seu nome.

Segundo ela, um consistente grupo de conselheiros seccionais e presidentes de comissões da casa, totalizando 16 nomes, já declarou apoio à sua pré-candidatura. Isso, diz, por considerarem sua proposta mais plural, participativa e que melhor representa os ideais da atual gestão.

Além disso, ela cita que já tem o apoio declarado dos conselheiros federais Marisvaldo Cortez e Fernando de Paula. O nome da pré-candidata tem ganhado projeção, inclusive, junto à advocacia jovem que, segundo Valentina, terá espaço de destaque em suas propostas para nova gestão.

Dalmo Jacob, outro conselheiro federal, ainda não decidiu seu apoio. Ele conta ao Rota Jurídica que hoje à noite (22) um grupo de advogados de Anápolis, cidade onde atua, vai se sentar para definir a quem apoiar nas próximas eleições. Mas mesmo antes da definição, ele já adianta que nenhum dos pré-candidatos terá seu apoio individual. “O apoio virá do grupo”, afirma.

Candidatos da atual gestão

No grupo da atual gestão, não existe consenso para uma única candidatura. Valentina tem entre os concorrentes os colegas Rafael Lara Martins, que é diretor-geral da Escola Superior da Advocacia, que já recebeu apoio do presidente do Lúcio Flávio de Paiva, e Rodolfo Otávio Mota, presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Goiás (Casag). Esse último diz que sua pré-candidatura ganha cada dia mais força devido às boas práticas da gestão e dos bons resultados apresentados desde quando assumiu a Casag há mais de cinco anos.

Rafael Lara, por sua vez, se mostra favorito entre os conselheiros seccionais chamados de “Novinhos”, apelido por realmente serem os mais jovens. Mas apesar de estar mantendo conversas intensas com os colegas, ele assegura que por enquanto, como a eleição de 2021 ainda está distante, está mesmo focado na gestão da escola. “A ESA tem papel muito importante nesse momento de pandemia, pois lá garantiremos formação para os advogados e advogadas se especializarem ainda mais e se prepararem para o mercado nesse momento difícil que enfrentamos devido à pandemia”, diz.

Oposição

Já pela oposição, Julio Meirelles afirmou hoje ao Rota Jurídica ser mesmo pré-candidato.  Na terça-feira (21), pouco dias depois dele ter o nome lançado por um grupo de apoiadores, ele conversou longamente com Pedro Paulo Medeiros e com um grupo de colegas mas, segundo afirmou, não houve consenso em um único nome da Nova Ordem, movimento do qual faz parte. Isso porque, Pedro Paulo, que chegou a afirmar inicialmente que não seria candidato este ano, também confirmou que vai colocar seu nome na disputa pelo grupo oposicionistas do qual foi candidato nas eleições de 2018.

Apesar desse impasse, Pedro Paulo garante nos próximos dias haverá muito diálogo pois a intenção é que a oposição lance apenas um candidato. “E será o movimento Nova Ordem quem decidirá quem vai representá-lo na disputa deste ano”, afirma, acrescentando que torce muito para um consenso para não haver racha no grupo.