Estudo de juíza goiana mostra que ingestão de açúcar antes de audiências de conciliação aumenta índices de acordo

A juíza Aline Tomás, da 2ª Vara de Família de Anápolis, realizou um estudo que comprova que a ingestão de glicose (suco de uva) antes das audiências de conciliação aumentam em mais de 30% os índices de acordo.

Juíza Aline Tomás/Foto Luciana Lombardi

Entre abril e dezembro do ano passado, a magistrada separou duas salas para efetuar as audiências. Numa delas, ela oferecia suco de uva para as partes e na outra, apenas água. No total, 659 audiências integraram a pesquisa de mestrado, na qual ela testou a glicobiologia no Judiciário.

“O que a gente observou foi uma média de 40 a 45% de acordos na sala que havia só água e mais de 70% naquelas em que oferecíamos suco, em situações absolutamente semelhantes”, analisou a magistrada.

Segundo ela, na glicobiologia, nós temos o centro de recompensa e o centro de punição. Quando as pessoas chegam para uma audiência, é o centro de punição que está ativado, com sensações de raiva e desconforto. O suco de uva, ou seja, a glicose, trabalha justamente aí fazendo a transição do centro de punição para o centro de recompensa, que traz sensações de bem-estar e facilidade de comunicação e negociação”, explicou.

Agora, a magistrada apresentará ao Tribunal de Justiça de Goiás o Projeto Adoce, que sugere a replicação do experimento nas demais varas de família do Estado. Fonte: TJGO