Euler Ivo e Isaura Lemos arrastam o PCdoB numa ação que o Ministério Público tem que investigar

Incomodados com as repercussões negativas que podem ferir as vísceras do PCdoB, três interlocutores ligados ao Partido entraram em contato com o Ministério Público, dirigentes da Caixa Econômica Federal e jornalistas escolhidos criteriosamente, para narrar fatos que se mostram estarrecedores e que podem  envolver má utilização de verbas públicas, fraude, danos aos mutuários e manobras ardilosas com fins obscuros. O mau juízo  indica o envolvimento da Deputada Isaura Lemos, seu esposo Euler Ivo e colaboradores ligados diretamente a eles.

A teia de implicações  é complexa e merece investigação minuciosa. O início dos problemas arrola o Movimento de Luta pela Casa Própria (MLCP) cujo presidente Valtuídes Mendes da Silva é lotado no gabinete da Deputada Isaura, embora testemunhas afirmem que ele não comparece à Assembleia. Sob a responsabilidade do MLCP foi erguido a Vila Adilair 2, cujas residências estão em estado precário, com o perigo de mais de 50 fossas abertas, acumulando reclamações dos mutuários, fornecedores e operários. Os primeiros não puderam ocupar o imóvel e os outros procuram receber dívidas que não foram quitadas.

Segundo os documentos, a obra foi terceirizada e entregue para a empresa Suporte que pertence ao esposo da então Secretária de Habitação de Aparecida, Limênia Alves. Para incrementar o nebuloso enredo, a empreiteira estranhamente faliu após receber cerca de 90% do valor da obra. Segundo consta, a MLCP coleciona ações trabalhistas por não acertar com trabalhadores humildes.

Euler Ivo é secretário da Confederação Nacional das Associações de Moradores (CONAM), cuja Presidente é Bartira Perpetua Lima da Costa, membro do comitê Central do PCdoB. Ou seja: os moradores que se consideram lesados (tenho a lista deles) não teriam a quem reclamar porque Euler faz parte do esquema que não concluiu o Projeto a contento.

AliásEuler Ivo e Isaura Lemos dominam de forma questionável as entidades goianas ligadas a quem sonha ter um lar decente. A ACEMAT (Associação, Cultura, Educação, Moradia, Agricultura e Trabalho) é controlada por Vinicius Schiavinatoque tem o apelido de “Madruga” e atua como Assessor de Euler Ivo. A ACODES (Associação e Controle da Desigualdade Social) é da competência de Vera Lucia Alves de Sousa, também lotada no gabinete da Deputada Isaura Lemos como pode ser conferido no Portal da Transparência.

O pior de toda essa teia de incertezas, com gente simples esperando sua residência, é que o sistema regulado pelo  casal não só pleiteia a autorização para a construção de 900 apartamentos em Aparecida (as famílias já estão cadastradas) como pretende controlar o segmento na Prefeitura de Goiânia, forçando a entrada do pupilo Bruno Pena como Secretário de Habitação. A única experiência do moço é o convívio com o grupo de Euler e Isaura.

Segundo um dos informantes, Paulo Garcia está sob pressão porque precisa do voto da Vereadora Tatiana, filha do casal, para costurar alianças envolvendo áreas públicas.  É fato que o Prefeito é um homem criterioso e não vai entregar a pasta em mãos duvidosas. Só agora está tendo conhecimento dos graves problemas que envolvem a Vila Adilair.

Técnicos de alto nível da Caixa Econômica Federal, que constataram as distorções no Projeto Adilair já alertaram  o Governo Federal temendo as consequências. Principalmente porquê o futuro empreendimento envolve 60 milhões de reais e os desvios podem  transformá-lo num dos maiores vexames habitacionais do país – mostrando descaso do Governo Dilma e do Ministério das Cidades num projeto que Lula valoriza – caso seja tocado nos moldes do Adilair 2. Pesa um momento delicado em que os inescrupulosos  sonham manipular verbas parrudas capazes de engrossar os recursos de campanhas políticas umbilicais.

 

*Rosenwal Ferreira: Jornalista e Publicitário

[email protected]

Twitter: @rosenwalF

facebook/jornalistarosenwal