Adenir Teixeira Peres Júnior é empossado no cargo de Juiz-Membro Substituto do TRE-GO

Adenir Teixeira Peres Júnior

O Presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Goiás, desembargador Leandro Crispim, deu posse, nesta quinta-feira (17), a Adenir Teixeira Peres Júnior, no cargo de Juiz-Membro Substituto do Gabinete de Jurista II da Corte Eleitoral goiana.

A solenidade aconteceu no Gabinete da Presidência do TRE/GO. Estiveram presentes, além do Presidente, o Juiz-Membro também da classe dos juristas Vicente Lopes da Rocha Júnior, o empossado e seus familiares.

Em seu pronunciamento de boas-vindas, o desembargador relatou o currículo do novo juiz-membro e declarou: “O ilustre jurista traz para essa Corte a juventude, o dinamismo, o idealismo e a vocação para o trabalho, atributo que, somados aos já presentes em nosso colegiado certamente contribuirá para os edificantes debates travados em plenário”.

O Juiz-Membro Vicente Lopes também deu as boas-vindas ao empossado e afirmou que a classe jurista está bem representada com seu ingresso na composição do Tribunal Pleno.

O mais novo Juiz-Membro Substituto do TRE/GO fez um discurso emocionado, em que agradeceu a todos e ressaltou que sua conquista foi fruto do companheirismo de sua esposa e do empenho de sua mãe, que não poupou esforços para educar os filhos. Externou sua alegria em contribuir com a Justiça Eleitoral e assegurou: “Quero aqui, Presidente Leandro Crispim, fazer o compromisso com Vossa Excelência de agir com independência e coragem estando à sua disposição para a missão que me for confiada.”

Currículo

Adenir Teixeira Peres Júnior é natural de Goiânia. Bacharel em Direito pela Universidade Salgado de Oliveira, fez pós-graduação em Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas e é mestrando em Direito Constitucional pelo Instituto Brasiliense de Direito.

Advogado desde 2005, foi também Procurador Municipal de Damolândia entre os anos de 2013 e 2016.

Em 2014, fez o Curso de Licitações e Contratos Administrativos e em 2017, o de Recuperação Judicial e Falência, ambos pela Fundação Getúlio Vargas. Em 2020, participou do VIII Fórum Jurídico de Lisboa e do XXIII Congresso Internacional de Direito Constitucional.

Composição dos Tribunais Regionais Eleitorais

De acordo com a Constituição Federal, os Tribunais Regionais Eleitorais são compostos por 7 juízes, sendo dois juízes dentre os desembargadores do Tribunal de Justiça; dois juízes, dentre juízes de direito, escolhidos pelo Tribunal de Justiça; um juiz do Tribunal Regional Federal com sede na Capital do Estado ou no Distrito Federal, escolhido, em qualquer caso, pelo Tribunal Regional Federal respectivo; e, por nomeação, pelo Presidente da República, de dois juízes escolhidos dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Justiça. Ainda, de acordo com o mandamento constitucional, os juízes dos Tribunais Eleitorais, salvo motivo justificado, servirão por dois anos, no mínimo, e nunca por mais de dois biênios consecutivos, sendo os substitutos escolhidos na mesma ocasião e pelo mesmo processo, em número igual para cada categoria. Fonte: TRE-GO