Instalada a 2ª Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa

Autoridades durante instalação da nova unidade judiciária que terá jurisdição em todo o Estado

Foi instalada na manhã desta segunda-feira (11), pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO), desembargador Walter Carlos Lemes, em solenidade no Salão Nobre da Presidência, a 2ª Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa e de Lavagem ou Ocultação de Bens, Direitos e Valores do Estado. A nova unidade, assim como a 1ª, terá competência para o processamento e julgamento de ações relativas à Leis Federais n°12.850/13 e n° 9.613/18 em todo o território goiano.

Atualmente, o acervo da 1ª Vara é de 1.825 processos e será redistribuído equitativamente para a 2ª unidade. De janeiro a novembro de 2020, 1.207 processos foram distribuídos e 1.619 foram arquivados na vara. Para a equalização da distribuição dos processos, a Presidência do TJGO suspendeu os prazos processuais das duas hoje e amanhã.

Mais eficiência

De acordo com o governador Ronaldo Caiado, também presente ao evento, com a 2ª vara haverá mais resultados e mais eficiência. “Agora essas organizações criminosas em Goiás têm sido combatidas com essa parceria”, disse, ao reverenciar e agradecer o apoio do TJGO. “Desembargador Walter, o senhor pode ter certeza que vai encerrar a gestão fazendo história em Goiás por ter tido coragem de combater o crime organizado”, enfatizou o governador. Para a segurança pública, o governador afirmou que a nova unidade representará celeridade, Justiça e punição.

O procurador-geral de Justiça de Goiás, Aylton Flávio Vechi,  por sua vez, enfatizou o quanto o Poder Judiciário goiano avançou nos dois anos de gestão do desembargador Walter Carlos Lemes, além da estrutura, houve, segundo ele, contemplado também o aspecto institucional. “O MP-GO e o Poder Judiciário sempre tiverem um entrosamento durante todo esse período. As decisões mostram a força de uma Justiça goiana atuante. Sabemos o quanto isso é importante, especialmente na área de combate ao crime organizado”, ressaltou.

Alta demanda
A titular da 1ª Vara dos Feitos Relativos a Delitos Praticados por Organização Criminosa e de Lavagem ou Ocultação de Bens, Direitos e Valores do Estado, juíza Placidina Pires, destacou a coragem de todos os envolvidos ao abraçarem essa frente de trabalho e criando a 1ª Vara de crimes organizados. “A quantidade me surpreendeu e percebi que há uma demanda represada. Hoje, quero parabenizar a todos os envolvidos e os que tiveram essa preocupação no combate às organizações criminais e lavagem de capitais”.

Segundo ela, é preciso realizar um trabalho de construção e mudança de mentalidade. Para ela, há a necessidade de um enfrentamento efetivo e mostrar que o crime organizado não violento também precisa ser combatido. “É impossível fazer tudo sozinha, estou lidando com mais de 1.800 organizações criminosas. Estou falando de processos que têm 40, 60 réus. São processos gigantescos. No entanto, o TJGO, sensível a isso, veio nos ajudar”, ressaltou.

O juiz em substituição na 2ª Vara, Alessandro Pereira Pacheco, falou da expectativa dos trabalhos. “Com 21 anos de magistratura e desde o início atuando em varas criminais tenho as melhores perspectivas. Apesar da complexidade dos processos, vamos continuar fazendo esse trabalho e o que a lei determina que seja feita, instruindo e julgando esses processos para combater a criminalidade em todo o Estado. As organizações criminosas estão sendo duramente atacadas em Goiás. Não podemos permitir que a criminalidade seja maior que a força do Estado”, finalizou. Com informações do TJGO